Indaiatuba

Fatec-ID vai inaugurar novo prédio em setembro

Linho apontou outros problemas na redação do projeto, como o fato de ele estabelecer uma multa aos infratores. “A proposta cria penalidades municipais sendo que as resoluções nacionais já preveem penas. Isso cria uma nova multa para a mesma infração. Seriam duas, portanto”, diz. “Além disso, o projeto determina a obrigação trabalhista de fornecer os coletes sem cobrar dos funcionários, o que também não compete à Câmara legislar.” O vereador declarou que por conta desses itens seria contra o projeto, apesar das “boas intenções” dos autores. Um dos autores, Fábio Conte, pediu vista de cinco dias para modificar a proposta. Ele pediu “mais lealdade”, já que o assunto não foi abordado com ele previamente, ao longo da semana anterior. “Vou corrigir a proposta, mas acho que não podemos abrir mão dela, até porque as determinações já estabelecidas não são cumpridas”, alega. Linho enfatizou que suas declarações não tiveram o objetivo de denegrir o projeto e que só terminou de analisar a questão durante a sessão. “Não é de mim que tem que se cobrar, mas da assessoria jurídica que deixou passar a proposta”, conclui.


Fonte:


Notícias relevantes: