Indaiatuba

885 pessoas aderem a contribuição ao Funseg

Devido ao cancelamento do contrato com as lotéricas, desde quarta-feira comerciantes têm recebido grande movimento para pagamentos das contas. A principal dificuldade é que, devido o excesso de demanda, muitos lojistas deixam de atender o foco comerciário, para receber as contas de energia. Uma lojista, que prefere não se identificar, diz que, em média, diariamente são atendidas 80 pessoas. Ela ressalta que não há qualquer tipo de segurança com o dinheiro arrecadado. “Além de atrapalhar as nossas vendas, já que funcionários têm que deixar de atender, para receber contas, a grande quantidade de dinheiro faz a gente ficar até com medo de ser assaltado”, relata. O proprietário da Brasil Escolar, Flávio Ávila, relata que teve dificuldades com o leitor de código de barras, que atrasou o atendimento na papelaria. “O movimento ainda não atrapalhou as minhas vendas, mas tenho somente dois guichês, e acredito que só deve aumentar”, comenta o comerciante. Ávila reforçou que CPFL não avisou que as lotéricas não fariam mais o recebimento das contas. “Acho que CPFL está jogando a responsabilidade, que é dela, para poucos estabelecimentos que estão fazendo arrecadação, para a cidade inteira”, opina. De acordo com o proprietário da Drogamiga, Denilson Gasparetto, durante a semana, o movimento também foi “intenso” em seu estabelecimento e atribui o excesso de procura à falta de divulgação dos locais credenciados. “Estamos localizados na Vila Georgina, mas muita gente de outros bairros vieram fazer o pagamento aqui. Foi um caos esta semana e acredito que, em breve, terei que dispor um funcionário para fazer o trabalho”, reforça. Outra dificuldade também relatada pelo funcionário da Poste Padrão Pronto, Ronaldo Lopes Reis, é que o local não está habilitado a oferecer o serviço de pagamento, e mesmo assim muitas pessoas procuram. “Recebo cerca de dez pessoas por dia e tenho que explicar que não recebo contas, porque a CPFL continua divulgando nosso estabelecimento”, explica. Segundo a assessoria de imprensa da CPFL, faltam opções de estabelecimentos que recebem esse serviço, porém, a empresa tem direcionado seu foco na abertura de novos pontos. A CFPL informa que qualquer empresa que esteja cadastrada legalmente no Município tem potencial para atendimento.


Fonte:


Notícias relevantes: