Indaiatuba

Clima seco aumenta em 35% problemas respiratórios

A Tribuna ouviu os secretários municipais de Desenvolvimento, de Educação e de Saúde para comentarem sobre o desempenho de Indaiatuba no Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal (Firjam) e para avaliarem o desempenho em cada pasta. O secretário municipal de Desenvolvimento, Edmundo José Duarte, credita o bom resultado no indicador de emprego e renda às facilidades que as empresas encontram para se instalar na cidade e, também, ao próprio índice. “Nossos incentivos fiscais chamam a atenção das empresas, atraindo-as a se instalarem na cidade, sem contar também que o próprio desempenho do Município no índice atrai estas empresas que buscam principalmente qualidade de vida”, comenta. Em média, a cada ano, Indaiatuba abriga 70 novas empresas. Somente em 2009, segundo o secretário, foram criados cerca de 4 mil novas vagas de empregos, levando-se em conta as demissões e admissões. Na Educação, a secretária municipal Rita de Cássia Trasferetti, acredita que a queda no índice é decorrente de apenas um indicador estudado na área de educação. “Ainda não tivemos acesso detalhado a todos os indicadores da área de educação, mas acreditamos que seja a taxa de matrícula no ensino infantil que existia na época que tenha puxado nosso índice para baixo”, conta. “Nós não temos taxas altas de abandono escolar, o percentual de docentes com nível superior cresce a cada dia e também estamos bem nos outros quesitos, então acreditamos que o problema enfrentado seja exatamente o das matrículas”, opina.


Fonte:


Notícias relevantes: