Indaiatuba

Prefeitura não aplica Lei local que proibiu instalação de circo

Em seu quarto dia de paralisação, a greve dos bancários, apoiada pelo Sindicato dos Bancários de Campinas e Região, já começa a afetar a população indaiatubana. Clientes que estão com contas vencidas ou cartões bloqueados, por exemplo, estão de mãos atadas para realizar os serviços que só podem ser feitos nos caixas ou diretamente com gerentes. Em Indaiatuba, quatro agências no total, da Caixa e do Banco do Brasil, estão com cerca de 100 bancários em greve. Segundo o Sindicato dos Bancários de Campinas e Região, em toda a área abrangida pela regional de Campinas, composta por 37 cidades, 159 agências já paralisaram suas atividades, envolvendo 3.825 bancários. Além de Indaiatuba, a greve alcançou as cidades de Campinas, Americana, Amparo, Cabreúva, Cosmópolis, Elias Fausto, Espírito Santo do Pinhal, Hortolândia, Itatiba, Jaguariúna, Mogi Guaçu, Monte Mor, Nova Odessa, Paulínia, Serra Negra, Socorro, Sumaré, Valinhos e Vinhedo. Cliente do Banco do Brasil, o operador de máquinas Carlos Rodrigo dos Santos, de 29 anos, vê dificuldade no pagamento de contas que, em sua maioria, após o vencimento, só podem ser pagas nos caixas e na agência credora. “Tenho uma conta que vai vencer dia 8, mas eu só vou pagar alguns dias depois, se essa greve continuar por mais tempo, não sei como vou fazer”, revela. A greve também obriga a população a procurar outras instituições para realizar os serviços desejados. É o caso da depiladora Eliana Araújo, de 39 anos, que foi até o Banco do Brasil, no centro da cidade, para ver a situação de seu Cadastro de Pessoa Física (CPF). Eliana foi informada que o serviço não estava sendo realizado e precisou se dirigir à agência dos Correios. “Serviços bancários são essenciais. Quando param, afetam todos de alguma maneira”, avalia.


Fonte:


Notícias relevantes: