Indaiatuba

Cidade é quinta em mortes no trânsito

O prefeito Reinaldo Nogueira (PDT) desmentiu esta semana os boatos de que foi preso. Citado pelos lobistas presos em ação realizada pelo Grupo de Apoio Estratégico e Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e pela Polícia Federal, que desmantelou um grupo especializado em fraudar licitações em várias regiões do País, o prefeito somente prestou depoimento na sede do Gaeco, em Campinas, na quinta-feira, dia 30 de setembro. Em entrevista exclusiva à Tribuna, Reinaldo diz que os boatos da sua prisão surgiram no dia 25 de setembro, no Floresta Parque, que teve a inauguração cancelada. “Algumas pessoas mal intencionadas, querendo prejudicar nossa campanha, falaram no local que o cancelamento tinha ocorrido porque eu estava preso, e citavam a matéria da EPTV do dia anterior”, relata. Na matéria, a EPTV revelou que o nome de Reinaldo era citado pela quadrilha. O chefe do Executivo revela que no dia 30 foi ouvido por três promotores e um delegado. “Fizeram bastante pressão”, conta. O promotor Amauri Silveira Filho, que comandou as investigações, fez diversos questionamentos sobre seu possível envolvimento com as fraudes. “O promotor foi duro nas perguntas, questionou sobre a minha ligação, mas não existe nada, nunca tive qualquer contato com as pessoas investigadas”, alega. “Apenas uma vez o tal de Manduca (Maurício de Paulo, acusado de ser o principal lobista do esquema de fraudes e que foi preso pela Polícia Federal) veio me cumprimentar em uma festa dos dez anos da RMC (Região Metropolitana de Campinas), mas esse contato nunca passou de um aperto de mão”, garante. Durante o depoimento no Gaeco, Reinaldo conta que foi questionado pelo promotor se estaria sendo extorquido pelos membros da organização criminosa. “Não estou sendo alvo de nada. Não tenho contato com eles. Caso a Promotoria encontre algum telefonema ou uma foto que mostre meu envolvimento com essas pessoas, pode decretar minha prisão preventiva”, argumenta. Confira a matéria completa na edição impressa de amanhã, do Jornal Tribuna.


Fonte:


Notícias relevantes: