Indaiatuba

Feirante local não resiste a transplante de fígado

O impasse envolvendo cinco médicos da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Augusto de Oliveira Camargo (Haoc) com a direção do hospital pode ter um final na próxima semana. A direção administrativa da unidade hospitalar e representantes dos médicos se reunirão na próxima semana, em data ainda a ser definida, para tentar um acordo e dar fim à negociação com relação ao valor pago pelo plantão de 12 horas da UTI. Segundo o médico intensivista Sérgio Marcelino, o rumo das negociações indica que o problema será solucionado e a equipe permanecerá trabalhando na UTI. “Tudo está caminhando para que este problema se encerre. Nosso desejo é continuar a trabalhar aqui porque somos de Indaiatuba e não gostaríamos de deixar nossa cidade, mas isso tem que estar atrelado às condições de trabalho que queremos”, conta. Sem citar valores, Marcelino revela que o Haoc fez uma proposta para a equipe e que ela está sendo analisada. “A proposta apresentada é boa e é próxima das nossas reivindicações, portanto, estamos esperançosos que nessa reunião que será agendada, tudo se acerte”, conta. Insatisfeitos com o valor recebido pelo plantão na UTI do Haoc, cinco médicos intensivistas entregaram, no último dia 28 de outubro, uma carta de aviso prévio em massa à direção do hospital. Os profissionais reivindicam equiparação do valor fixo pago pelo plantão com os valores pagos para os plantonistas do pronto-socorro. O aviso prévio termina no próximo dia 30, quando os médicos deixarão suas funções, caso as negociações com o Haoc não avancem.


Fonte:


Notícias relevantes: