Indaiatuba

Revenda de carros adulterados teria ligação com Indaiatuba

Depois de pedir uma extensão de prazo ao TRT, a empresa apresentou um documento, no dia 29 de dezembro, ao Sindicato dos Metalúrgicos de Campinas e Região, reintegrando todos os 336 funcionários que havia demitido, prometendo readmitir todos os empregados e conceder licença remunerada a eles, referente ao período do dia 10 de dezembro até o último dia 11, data em que os funcionários voltaram ao trabalho. Em um comunicado oficial à imprensa, a Foxconn confirma que os 336 funcionários foram reintegrados dentro do prazo estipulado pelo TRT e que todos foram avisados de suas read- missões por meio de carta enviada pelos Correios. Além disso, aos trabalhadores, foi concedida uma licença remunerada. Segundo a empresa, o crescimento da tecnologia Android (sistema operacional para smartphones) no Brasil é um dos responsáveis pela queda de produção da unidade de Indaiatuba. A assessora do departamento de comunicação da empresa, Ana Paula Serpa, conta que os celulares fabricados pela empresa atualmente não suportam a tecnologia e que esta fase de transição explica a queda de produção. “Este processo de transição demora um tempo e acaba provocando queda na produção. Até a empresa se adaptar à nova tecnologia, não há como manter estes empregos”, avalia. Além disso, para a empresa, a nova regra de importação de eletrônicos da Argentina, onde os impostos para a produção interna passarão de zero para 26% e os importados terão o Imposto Sobre o Valor Agregado (IVA) - equivalente ao ICMS no Brasil - duplicado, passando de 10,5% para 21%, afetará a exportação de produtos do Brasil para o mercado argentino, contribuindo também, para a queda de produção. Ana Paula confirmou que a empresa recebeu uma contraproposta do sindicato, que será analisada,e a resposta só será dada na audiência da próxima terça-feira, dia 18.


Fonte:


Notícias relevantes: