Indaiatuba

MP vê indícios de corrupção em ato de candidato a vereador

O professor italiano Alberto Giácomo Dettori, de 48 anos, faleceu na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Augusto de Oliveira Camargo (Haoc), na madrugada de segunda-feira, dia 17. Ele foi agredido a pauladas por um inquilino do imóvel da família, no Jardim Pedroso, no mês de novembro. O acusado de agressão ainda não foi preso. O inquilino apontado como autor da agressão é o tapeceiro Divino Aparecido de Lima, de 41 anos, que permaneceu por mais de 30 dias no imóvel alugado. Ele já havia agredido outros moradores no local com chave de fenda e enxada. Uma das vítimas foi o inquilino João Carlos Ramos, que chegou a passar pelo pronto-socorro do Haoc por conta das lesões. Segundo a esposa do professor, a modelista Marli Pinho da Silva Dettori, de 36 anos, o marido esteve na manhã do dia 4 de novembro à procura de Lima, para pedir que ele deixasse o imóvel, em função dos problemas que vinha causando com outros moradores no local. Nesse mesmo dia, quando Dettori deixava o sobrado no Jardim Pedroso, foi surpreendido por Lima, que o derrubou e desferiu várias pauladas pelo corpo. Segundo a esposa do professor, a Polícia foi chamada várias vezes, mas ao chegar ao local não conseguiu prender o agressor. Após a agressão, ele chegou a ficar no imóvel por 30 dias, mas depois desapareceu. Dettori permaneceu internado no Haoc, onde houve a necessidade da retirada do baço. Mesmo tendo alta, precisou retornar ao hospital. Após 73 dias da agressão, o professor faleceu na UTI. O sepultamento ocorreu na terça-feira, dia 18, no Cemitério Jardim Memorial.


Fonte:


Notícias relevantes: