Indaiatuba

Párocos locais apoiam saída de Bento 16

De acordo com o presidente da APM, Francisco Carlos Ruiz, a medida foi tomada depois que esses 17 convênios não se posicionaram sobre um reajuste no valor das consultas e no coeficiente de honorários (CH, índice utilizado para determinar o valor que o médico recebe por determinado tipo de cirurgia). “A classe médica de Indaiatuba deliberou em assembleia em dezembro um prazo suficiente para que os planos pudessem se pronunciar sobre a reivindicação dos médicos de reajustar o valor da consulta em R$ 55 e CH R$ 0,42 para procedimentos médicos, a partir de janeiro de 2011, e planejamento para alcançar o valor solicitado de R$ 80 para consultas e de R$ 0,50 para procedimentos médicos”, revela o médico. Por entender que os 17 convênios citados sequer contemplam o mínimo solicitado, a classe decidiu interromper o atendimento.


Fonte:


Notícias relevantes: