Indaiatuba

Andamento de obras de Viracopos é alvo de encontro

A decisão da Companhia Paulista de Força e Luz (CPFL Piratininga) em credenciar comércios como postos de pagamento da tarifa, a posterior dificuldade da população em conseguir pagar as contas, a reclamação dos comerciantes sobre a falta de segurança em receber os altos valores e a decisão de muitas empresas que deixaram de ser um posto de atendimento são os principais motivos que fizeram com que a Câmara decidisse criar uma comissão interna para questionar a empresa sobre os problemas enfrentados pela população. O anúncio oficial da criação da comissão será feito na sessão ordinária de segunda-feira, dia 28, quando o presidente da Casa, o vereador Luiz Carlos Chiaparine (PDT), convocará os vereadores interessados em participar das discussões com os representantes da empresa. Porém, antes de nomear os parlamentares, o presidente quer que um representante da CPFL se reúna com os vereadores antes da próxima sessão. O objetivo é fazer com que os membros do Legislativo ouçam da empresa qual é a situação do momento para depois começarem os trabalhos. Questionado sobre as ações da comissão, Chiaparine afirma à reportagem da Tribuna que a situação vivida hoje pela população de Indaiatuba é “bastante curiosa”, pois é um caso em que os moradores querem pagar a conta e não conseguem. “É a primeira vez que eu vejo uma situação como essa, em que as pessoas querem pagar uma conta e enfrentam muitas dificuldades”, avalia. Em conjunto com os trabalhos da comissão e os questionamentos à empresa, o presidente revela que a Câmara, por intermédio do Departamento Jurídico, promete acionar o Ministério Público Federal para saber quais medidas podem ser feitas pelo Município.


Fonte:


Notícias relevantes: