Indaiatuba

Professores estaduais voltam ao trabalho depois de 21 dias

Cães abandonados Olá, Silvia, moro na cidade de Bauru, tenho familiares que moram em Indaiatuba. Às vezes vou visitá-los, e fico muito triste em ver tanto desrespeito com os cães abandonados, perambulando pelas ruas. Ao invés de me distrair um pouco, fico deprimida, com tanto descaso. Meus irmãos já recolheram vários em suas casas, mas isso não resolve o problema. No outro dia aparecem outros em frente de suas residências, minha irmã já esta com depressão por não saber como resolver o problema. Ela e minha cunhada já procuraram as autoridades, mas eles são insensíveis com a situação. Sabe Silvia não dá vontade de visitar Indaiatuba, pois o que se vê é um monte de cães famintos e doentes pelas praças, jardins e ruas. De que adianta uma cidade bonita e bem cuidada se nada é feito pelos animais? Nenhum projeto de conscientização da população para que não abandonem seus animais. Embora já exista um Centro de Zoonose, nada mais é feito pelos governantes. As autoridades precisam saber que existe esse problema de abandono na cidade. Conhecemos os governantes de uma cidade, e seus munícipes, pelo modo como a população canina é tratada. Indaiatuba deixa a desejar e muito. Espero que haja ação positiva nesse sentido. Um abraço, de quem admira essa cidade. Vany Lamberti R: Oi Vany, as ONG’s de proteção animal até têm programa de castração e/ou adoção, mas é limitado – por falta de verbas ou espaço. Faço aqui um apelo para que a Prefeitura destine mais verba para castrações. Abraços. Correios Você já viu a tamanha bagunça e confusão que está acontecendo lá no depósito dos Correios do Bairro Santa Cruz? Pois é, com o problema da falta de entrega das cartas somos obrigados a ir lá pessoalmente pagar as correspondências. Quando você chega lá tem de ficar numa fila enorme, debaixo de sol e os atendentes nos tratam com descaso e desrespeito. Quando você começa a reclamar, dizem que chamarão a polícia, dizendo que estamos fazendo desordem. São malcriados e dizem um monte de bobagens, que vão fechar as portas e nos deixar para fora sem atendimento, pessoas passam mal, mães com crianças de colo e idosos. Agora pergunto: somos obrigados a aguentar tudo isto? Percebe-se que a maioria dos serviços em nossa cidade está às moscas: Ciretran, Correios, entre outros. Mônica MM R:Oi Mônica, leia a nota na coluna a esse respeito. A bronca é geral. Abraços. Desvio do pedágio Oi, Silvia. Trabalho em Campinas, todos os dias passo pelo desvio do pedágio e fico indignada com a falta de respeito e consideração com as pessoas que são obrigadas a trafegar por lá diariamente. Falta de respeito essa que se inicia com: 1 -instalação de lombada na subida para beneficiar condomínio - em plena avenida onde a preferência deveria ser de quem está trafegando - e não saindo do condomínio; 2 - somente uma cancela liberando os automóveis que estão indo a Campinas - isso já no período da manhã, horário de pico, e os motoristas coitados suportando pacientemente, afinal não temos para quem reclamar; e 3 - funcionários dos haras passeando com seus cavalos tranquilamente entre 5h e 5h30 da tarde, horário esse onde os pobres – novamente – motoristas estão voltando do trabalho, cansados, querendo chegar em casa, e os cavalos e cavaleiros lá, andando em plena pista, como se não tivessem nada com isso, como se fossem os donos da cidade. É lamentável, Silvia, viver nessa cidade, onde apenas alguns são beneficiados e não há fiscalização para nada, ou melhor, para nada que pudesse melhorar a vida do cidadão de bem, trabalhador. Muito obrigada e um grande abraço. Maria José R: Oi, para começo de conversa, esse pedágio de bloqueio nem deveria existir, já que corta bairros ao meio. Os cavaleiros deveriam ser orientados para levar os animais em fila única a fim de evitar transtornos. Os “milionários” do Polo argumentam que a pavimentação da via foi feita por eles, muitos anos atrás. Mas a via é pública. As lombadas ali são unicamente com esse propósito: facilitar a vida daqueles condomínios. Abraços.


Fonte:


Notícias relevantes: