Indaiatuba

Usuários voltam a relatar problemas em hospital

O humorista Danilo Gentili, nacionalmente conhecido como o Repórter Inexperiente do programa Custe o que Custar (CQC), volta a Indaiatuba neste sábado, dia 9, às 21h com seu Vol. 1. Uma das principais atrações do programa da Rede Bandeirantes, o humorista se apresenta na Sala Acrísio de Camargo no Centro Integrado de Apoio à Educação de Indaiatuba (Ciaei). Danilo Gentili formou-se em 2003, no curso de Comunicação Social com habilitação em Publicidade e Propaganda na Universidade do Grande ABC (UniABC). Em 2006 fundou o Comédia ao Vivo, show de humor de sua própria autoria. Neste mesmo ano, passou a integrar o espetáculo de comédia Clube da Comédia Stand-Up. Além disso, transita por grandes festivais e eventos como o Comédia Em Pé, no Rio de Janeiro, e o Risorama, mostra oficial de humor do Festival de Teatro de Curitiba, o maior acontecimento público da comédia nacional. Danilo é ainda cartunista e chargista. Manteve uma coluna às segundas-feiras em um dos jornais de maior tiragem do País, o Metro. Em 2008 foi premiado como Paulistano do Ano pela Revista Veja e foi colaborador de uma das revistas de maior circulação nacional, a Mad. Em 2010, ao lado de seu colega de comédia Rafinha Bastos e seu produtor Ítalo Gusso, abriu na Rua Augusta, em São Paulo, o primeiro comedy club do Brasil, chamado de Comedians. O local tem como molde as tradicionais casas americanas do gênero. Após algumas incursões na televisão, principalmente em entrevistas e em vinhetas da MTV, foi selecionado para participar do programa de humor Custe o Que Custar (CQC). No teste para ingressar no programa, deixou o cantor Agnaldo Timóteo escandalizado com suas colocações despropositadas, o que lhe valeu o emprego (a participação, que era para ser temporária, foi um sucesso e efetivou-se no programa). No programa, tornou-se rapidamente destaque graças ao quadro Repórter Inexperiente, em que se passava por um novato que só fazia perguntas confusas. Com o término do quadro, o humorista destacou-se no CQC em matérias nas ruas e principalmente na área política. No Congresso Nacional, virou o terror dos políticos, já tendo sido expulso da casa em 2008, ao perguntar sobe o caixa dois aos deputados e chegou a ser agredido por seguranças do presidente do Senado José Sarney em 2009. Também foi acusado de racista por conta de uma piada no Twitter, preso por vadiagem ao se disfarçar de mendigo para uma matéria e apanhou de funcionários públicos em São Bernardo do Campo e Analândia quando gravava uma reportagem.


Fonte:


Notícias relevantes: