Indaiatuba

Empresa de Indaiatuba tem bens bloqueados

O índice de homicídios do primeiro trimestre de 2011 em Indaiatuba registrou uma queda de 85,7% em comparação com o mesmo período de 2010. Enquanto no ano passado a cidade já havia contabilizado sete mortes por homicídio entre janeiro e março, este ano, o primeiro homicídio de Indaiatuba ocorreu apenas no mês passado. Os dados foram divulgados pela Secretaria de Estado da Segurança Pública no último dia 15. Se comparado com 2009, que registrou seis homicídios no primeiro trimestre, a queda também é expressiva, chegando a 83,3%. Em comparação com 2008, o número representa a metade dos dois homicídios registrados naquele ano. O índice de roubos comuns, que envolvem roubos a transeuntes, “saidinha de banco”, assaltos contra casas e comércios, também sofreu redução. No primeiro trimestre de 2010 foram registradas 238 ocorrências enquanto no mesmo período desse ano, a redução foi de 33,2%, com 159 casos. O número de roubos de veículos também caiu. Dos 39 registros nos três primeiros meses do ano passado, esse ano a quantidade de casos foi reduzida para 35 ocorrências, 10,25% a menos que em 2010. Os únicos dois índices que apresentaram aumento com relação ao primeiro trimestre de 2010 foram o de furto, que subiu de 374 casos para 449 ocorrências este ano (20,05% de aumento) e o de furto de veículos, que aumentou 19,5%, indo de 82 carros para 98 veículos levados nos primeiros três meses de cada período. A partir deste mês, a Secretaria de Estado da Segurança Pública passa a divulgar os dados da criminalidade também mensalmente. Além dos índices já citados, as estatísticas mensais trazem também outras 13 modalidades criminais como número de vítimas em homicídio doloso; homicídio culposo por acidente de trânsito; homicídio culposo; tentativa de homicídio; lesão corporal dolosa; lesão corporal culposa por acidente de trânsito; lesão corporal culposa; latrocínio; número de vítimas em latrocínio; estupro; tráfico de entorpecentes; roubo a banco e roubo de carga. Confira os dados indaiatubanos, por mês, no quadro abaixo.


Fonte:


Notícias relevantes: