Indaiatuba

Rotary Indaiatuba realiza seminário sobre ShelterBox

Depois do 3D chegou a vez do cinema 6D. A novidade chega a Indaiatuba amanhã, dia 7, na praça de eventos do Shopping Jaraguá, e fica até 30 de julho, através da empresa Cine Adventure 6D, em uma sala para receber até oito espectadores por sessão. Não é cinema no sentido de Sétima Arte, mas uma diversão que mistura o Cinétrion e o Simulákron do Hopi Hari. O Cine 6D tem a projeção de filmes em 3D, polarizado com diversos efeitos especiais em curta onde o público terá a sensação de fazer parte da trama, com movimentação das poltronas, vento no rosto, jatos de água, aroma de chocolate, entre outras sensações. O público poderá escolher entre os seis filmes em cartaz: Trem Fantasma, Fábrica de Chocolate, Mina de Ouro, Jurassic Park, Gálaxi e Fundo do Mar. Cada ingresso custará R$ 10 por pessoa, com direito a um filme de aproximadamente cinco minutos cada. Uma imagem em três dimensões exibida na tela de um cinema, independentemente do ângulo que você a visualizar, sempre terá a mesma imagem. Um holograma, por outro lado, tem a propriedade de exibir a imagem de maneira diferente, dependendo do ângulo de visão do observador, mas ainda sofrem de uma grande limitação: não são capazes de interagir com a iluminação do ambiente. Por isso, quando vemos a imagem em holograma de um objeto qualquer, como uma flor, se a comparamos com o objeto real, temos a sensação de que aquilo é totalmente artificial e que falta uma série de detalhes. A nova tecnologia em 6D representa uma revolução nesse sentido, permitindo que a visualização dos objetos projetado seja alterada não apenas com a mudança de posição de quem olha, mas também com a mudança de direção e intensidade de iluminação. Além disso, a sala tem poltronas especiais que se movem mecanicamente conforme a exibição do filme, oferecendo sensações diferentes aos participantes. Utilizando essa nova tecnologia, vai ser possível realmente acreditar que os personagens do filme que você está assistindo estão interagindo com o público, quase como se fossem novos membros da plateia. Ao contrário dos hologramas, que dependem da utilização de um feixe de lasers para sua projeção, o sistema em seis dimensões utiliza um princípio semelhante ao encontrado em certos cartões-postais e brindes de revistas, que simulam uma imagem tridimensional conforme o observador muda seu ponto de vista. Nestes objetos, é utilizada uma série de lentes lineares e paralelas construídas em plástico, que ficam superpostas à imagem que se deseja dar a ilusão de 3D. Esse mesmo princípio é utilizado nas imagens chamadas de 4D, que são nada mais que imagens tridimensionais que simulam a sensação de movimento. Para isto, basta utilizar lentes quadradas em vez das lineares encontradas nos cartões-postais. A tecnologia 6D utiliza diversas camadas adicionais de lentes e telas a esse sistema, adicionando duas dimensões extras. A imagem resultante não somente é modificada pela visão do espectador, mas também pela intensidade e direcionamento da iluminação presente no ambiente. Em um teste inicial, os cientistas do MIT utilizaram a imagem de uma garrafa de vinho feita de vidro, cuja visualização é alterada conforme o ângulo da luz utilizada muda. O resultado impressiona pelo realismo, dando a ilusão de que o que se vê não é somente uma imagem projetada, mas sim o objeto real.


Fonte:


Notícias relevantes: