Indaiatuba

Benefício ao Mais Médicos movimenta sessão da Câmara

Somos seres individuais, cada um com características próprias, mas há pessoas que são mais diferenciadas. Pessoas que se destacam por suas formas peculiares de ser e que não são tão comuns. Por muitos eles são chamados de esquisitos. Por outros são considerados mal-educados. Outros ainda os classificam de prepotentes e arrogantes. Mas uma coisa todos concordam: pessoas assim acabam vivendo um mundo à parte, ficam isolados. Algumas pessoas se diferenciam pela extrema sensibilidade com que captam os estímulos que a vida oferece. Chamadas por muitos de frouxas, possuem uma forma diferente de realizarem suas coisas. Detalhistas com pontos que para a grande maioria não faz sentido, aos olhos alheios perdem grande tempo antes de fazerem o que realmente de-veriam. Isto é lógico, visto pelo olhar da maioria. Capazes de compreenderem o que os demais não o são. Algumas pessoas se diferenciam pela objetividade que possuem em ver a vida. Não levam em consideração fatores que possam desviá-los dos focos a que se propuseram. Atenção: Estas pessoas são muitas vezes chamadas de tratores, aquelas que atropelam quando veem alguém à sua frente que não participam de seus interesses e focos. Existem sim pessoas que simplesmente desconsideram a existência de outras e agem como se fossem sós. Desrespeitam seus pares e familiares, nunca se dispõem a compartilhar seus interesses. Sentem-se sempre ameaçadas pelos demais e não possibilitam nenhuma aproximação. Mas não são desses que estou falando. Refiro-me àqueles que, após tentarem envolver os que estão ao seu redor e dizem compartilhar dos mesmos objetivos, na hora do fazer começam a dança do “não é bem assim”; “assim não dá” e do “não depende de nós, temos que esperar”. Pronto. Acabaram de ligar o trator. Exemplo? Muito comum em empresas, onde é dada uma missão que para ser atingida se faz necessário a colaboração de vários departamentos, mas os melindres e vaidades pessoais impedem o caminhar necessário para a concretização do proposto. Nesta hora, estas pessoas que sabem o que é necessário fazer desconsideram os demais e tomam as ações necessárias. Resultado? Quase 100% das vezes atingido com louvor. Venda feita, entrega realizada no prazo. Só isso? Nunca! Inúmeros problemas de relacionamento dentro da empresa pela atuação que desconsiderou todos os melindres e má vontades, acrescido de muita irritação por verem que o trator conseguiu. Pasmem. Nessa hora a própria chefia dessa pessoa volta-se contra ela. “Você não teve habilidade/competência para lidar com seus companheiros”. Um exemplo familiar? É preciso tomar uma decisão quanto a um filho e fazê-lo respeitar o que se é colocado. Depois de decidido, ficam enrolando para fazer com que o filho responda pelos seus atos. Uma pessoa da família e que pode ser o pai ou a mãe, toma a dianteira e faz o que tem que ser feito, os demais ficam a tratá-lo como se fosse um bicho. Pessoas diferenciadas são difíceis de serem compreendidas, aceitas, e são pessoas que incomodam muito aos outros, pois mostram o que os outros não querem ver. No caso de em-presas se agrava pela ameaça que passam a representar aos vários níveis hierárquicos. Mostram que é possível o que dizem não ser. Estas pessoas precisam ter a consciência plena do que ocorre e a compreensão e aceitação dos fatos, pois se isso não ocorre, elas mesmas agindo adequadamente consideram-se desajustadas e aí sim se desequilibram emocionalmente, gerando conflitos onde não precisariam e reforçando erroneamente a visão de que são problemáticos. Podem viver em comunidade, mas devem saber que suas ideias e pensamentos não podem ser impostos e nem levados a qualquer situação ou pessoa. É necessário o discernimento para esperarem a hora e local adequado para aí sim, se exporem. Aguardar serem solicitados. Sofrem? Muito, pois veem que as coisas poderiam ser diferentes se as pessoas tivessem um pouco mais de abertura às situações que se apresentam.


Fonte:


Notícias relevantes: