Indaiatuba

Empresa oferece palestra gratuita para setor de hotelaria

O Multipelx Topázio do Shopping Jaraguá exibe dois filmes “gratuitos” na quinta-feira. As aspas são porque Vincere, que faz parte do 11º Festilval de Filmes Italianos, vai custar um quilo de alimento não perecível. Já Baby Love faz parte da programação da 2ª Semana de Luta pelos Direitos Humanos e Respeito à Diversidade Sexual (confira os horários na Agenda). Vincere (2009) é do diretor Marco Bellocchio (Bom dia, Noite; De punhos cerrados) e conta a história de Ilda Daser, amante de Benito Mussolini, com quem teve um filho, Benito Albino, inicialmente reconhecido e, em seguida, renegado. É uma página obscura da história da Itália, ignorada na biografia oficial do líder. Quando Ida conhece Mussolini em Milão, ele é um fervoroso socialista que pretende orientar as massas contra a igreja e a monarquia. Ela acredita nele e em suas ideias, e vende tudo o que tem para financiar Il Popolo d’Italia, um jornal que Mussolini funda para ser o núcleo do futuro Partido Fascista. Quando a Primeira Guerra Mundial irrompe, ele se alista no exército e desaparece. Ao reencontrá-lo algum tempo mais tarde casado com outra mulher, Ida exige seus direitos como verdadeira esposa e mãe de seu filho primogênito. Levada a força, fica trancada por mais de 11 anos em um asilo de loucos, onde é amarrada e torturada, e sem poder ver seu filho. Mas Ida não desistirá de lutar. Uma das atrizes italiana mais bonitas da atualidade, Giovanna Mezzogiorno, que pode ser vista em A Janela da Frente (2003) e Amor em tempos do cólera (2007), faz o papel principal. Filipo Timi, que trabalhou com George Cloney em Um Homem Misterioso (2010), interpreta o líder e, depois, o filho deste com Ilda, Benito Albino. O filme ganhou oito David de Donatello e prêmios em diversos festivais de menos expressão, mas foi incensado pela maioria da crítica. Para Marcelo Hessel, do site Omelete, o que faz do filme uma obra-prima é “A análise de como se constrói uma imagem política e como o discurso de Mussolini se opõe à palavra de Ida Dalser”. “Vincere fala sobre Mussolini, fala sobre Berlusconi, e serve para a política de modo geral”, conclui. Rubens Ewald Filho diz que “O filme tem um visual extraordinário e arrebatador para ilustrar toda essa loucura que foi o fervor de uma nação se apaixonando por um ditador canastrão e que tratava o povo como uma mulher que devia seduzir”. Confira a matéria completa na edição impressa de amanhã, do Jornal Tribuna.


Fonte:


Notícias relevantes: