Indaiatuba

Indústria perde mais 350 postos de trabalho

Crise

A indústria perdeu mais 350 postos de trabalho no mês de outubro. O resultado de -0,39% da Diretoria Regional do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp) de Indaiatuba foi divulgado na terça-feira pela Pesquisa de Nível de Emprego da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e do Ciesp.

A regional é composta por outras 11 cidades além de Indaiatuba. Somente neste ano, a variação é de -6,07%, enquanto nos últimos 12 meses o total é -8,19%, o que representa uma queda de aproximadamente 7.800 vagas a menos para a região desde outubro de 2014.

O cenário melhora apenas na comparação focada entre os meses de outubro de 2014 e 2015, pois em outubro de 2014 o resultado foi negativo em -0,81%, pouco acima do atual. Também é mais otimista se comparado com números referentes a setembro, que apontavam uma variação negativa de 1,4%, o que representou a eliminação de 1.250 postos de trabalho.

O índice do nível de emprego industrial foi influenciado pelas variações negativas dos setores de Confecção de Artigos do Vestuário e Acessórios (-2,56%); Máquinas e Equipamentos (-1,14%); Produtos Têxteis (-1,51%) e Veículos Automotores e Autopeças (-0,24%), que foram os setores que mais influenciaram o cálculo do índice total da região.

Estadual

A indústria de São Paulo registrou um saldo negativo de 20,5 mil vagas na passagem de setembro para outubro, segundo a pesquisa da Ciesp/Fiesp. O resultado do mês passado significa uma queda de 0,83% do indicador, na leitura com ajuste sazonal.

De janeiro a outubro deste ano, a indústria paulista já demitiu 159 mil empregados. Ainda segundo a pesquisa, o saldo de empregos no setor ficou negativo em 237,5 mil vagas na comparação entre outubro deste ano com outubro de 2014.

“Continua caindo num plano de inclinação constante, a uma taxa de 20 mil a 25 mil empregos por mês. E a nossa previsão de chegar perto de 250 mil empregos a menos parece que vai se cumprir”, lamenta Paulo Francini, diretor do Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos (Depecon) da Fiesp e do Ciesp.

A situação do emprego na indústria paulista no acumulado do ano já é pior que o quadro verificado durante o mesmo período em 2009, auge da crise financeira mundial, quando a taxa era de -1,06%.

Em 2014, o resultado para o mesmo período ficou negativo em 1,95%. Mas neste ano, o mercado de trabalho do setor amarga uma forte queda de 6,28%. “O ano 2015, podemos garantir, é o pior ano para o emprego na indústria do Estado de São Paulo”, acrescenta o diretor, sem perspectivas de melhoras à vista.


Fonte:


Notícias relevantes: