Indaiatuba

Campanha para vítimas de Minas Gerais arrecada 15 mil litros de água potável

SOLIDARIEDADE

Na segunda-feira passada, a Tribuna divulgou e participou de uma campanha para arrecadar água potável para as vítimas do rompimento das barragens em Minas Gerais (MG). Depois de quatro dias de arrecadações, os voluntários conseguiram angariar aproximadamente 15 mil litros de água mineral. Só aqui no jornal foram doados 1.113 litros.

“A campanha superou nossas expectativas, pois pensamos arrecadar cerca de cinco mil litros”, comemora Ângela Gomes Malta, idealizadora da campanha em Indaiatuba. “Quero também esclarecer que contei com a ajuda de muita gente para concretizar esta ação solidária, e agradeço imensamente a todos os envolvidos”, complementa.

Para tocar a campanha em tempo praticamente recorde, já que foi iniciada no dia 14 de novembro, Ângela teve a valiosa parceria da filha, Amanda Frota Malta, que engajou milhares de amigos nas redes sociais. “Ela divulgou a campanha aos contatos online e os compartilhamentos se multiplicaram rapidamente”, revela.

Sueli Malta, cabeleireira e prima de Ângela também foi uma das colaboradoras da campanha. “Montei um posto de arrecadação em meu salão e, conforme eu avisava as clientes, o espaço já foi sendo tomado pelos galões de água”, conta.

Ângela lembra ainda que já na segunda-feira, terceiro dia da campanha, já havia conseguido 30 galões de cinco litros. “Não estipulamos tamanho da embalagem – aceitamos desde copinhos de 200 ml até galões de 20 litros. A participação e solidariedade de todos foi o mais importante”, afirma.

Caminhão chega hoje

As famílias de Ângela e do marido Cleiner vivem em Governador Valadares, um dos municípios atingido pelo mar de lama liberado após o rompimento das barragens. “O tio do meu marido é superintendente do Saae de lá e esteve em contato com a Samarco, mineradora responsável pelas barragens. Ainda ontem ele esteve com a diretoria da empresa para definir o horário de saída do caminhão que vem para cá”, esclarece.

O caminhão enviado pela Samarco deve sair hoje de Minas Gerais; até o fechamento desta edição não obtivemos a confirmação do horário de chegada em Indaiatuba.

Mar de lama

No dia 5, as barragens da Samarco, empresa controlada pela Vale e pela BHP Billiton, se romperam, formando uma onda de lama que destruiu o distrito de Bento Rodrigues e chegou a outras regiões de Minas Gerais e do Espírito Santo. A lama alcançou o Rio Doce, impedindo a captação de água e prejudicando o ecossistema da região.

Dados recentes divulgados na mídia apontam que a lama da barragem rompida em Mariana (MG) poderá atingir uma área de 9 km de mar no litoral do Espírito Santo. Caso a Samarco não tome medidas impeditivas, os impactos negativos serão duradouros e irão afetar por muitos anos a vida marinha local.


Fonte:


Notícias relevantes: