Indaiatuba

Empresa faz acordo para novo final de linha

Usuários das linhas de ônibus 600 e 601, da VB Transportes, que percorrem os trajetos Indaiatuba-Campinas e Viracopos, se mostram insatisfeitos com a localização do ponto final. Atualmente, os ônibus finalizam e iniciam os percursos na Rua Doutor Ricardo, em Campinas, sem entrar na rodoviária.

Mário Gomes, apontador (que fiscaliza os horários) da VB Transportes em Indaiatuba, informou à Tribuna que, diante das reclamações, foi firmado um acordo com os passageiros. "Aqueles que preferem descer no terminal rodoviário de Campinas podem permanecer no interior do ônibus até o horário da próxima partida, pois ele irá passar em frente à rodoviária", explica. Esta foi a alternativa imediata encontrada para reduzir a insatisfação dos usuários.

Questionada sobre o porquê dos ônibus das linhas metropolitanas não terem acesso às plataformas no interior da rodoviária em Campinas, a EMTU respondeu, via assessoria, que o local não possui capacidade para receber mais veículos.

A empresa apontou que o Terminal Metropolitano Magalhães Teixeira, em Campinas, é o ponto inicial do Corredor Metropolitano Biléo Soares, que ligará Campinas à Santa Barbara d'Oeste, passando por Monte Mor, Hortolândia, Sumaré, Nova Odessa e Americana, municípios que somados movimentam cerca de 100 mil usuários por dia, limite máximo de operação segura no terminal. Por este motivo, as linhas provenientes de outras cidades, como é o caso da 600 e 601, que chegam de Indaiatuba, continuam fazendo o ponto final nas ruas centrais do município de Campinas.

Preocupação

"A área onde fica o ponto final do ônibus é ruim, pois é um local cheio de vendedores ambulantes e mendigos. Das vezes em que precisei pegar o transporte à noite ali fiquei com bastante medo", revela a auxiliar administrativo Maria Luiza. "Além disso, muitos não respeitam e se amontoam na porta, ficando difícil entrar. Como não necessito ir até a rodoviária, prefiro andar um pouco mais e tomar o ônibus na Rua dos Expedicionários, onde é mais tranquilo".

A estudante Juliana da Silva comenta que faz constantes viagens no transporte público metropolitano. "Sempre carrego várias bagagens e é um incômodo muito grande não poder contar com uma plataforma dentro do terminal lá em Campinas", reclama. "Nos dias em que está chovendo, então, nem fale; é muito complicado ter de descer ali carregando tudo".

Abaixo-assinado

Em dezembro de 2013, o ponto final das linhas Indaiatuba-Campinas-Viracopos (600 e 601), Valinhos-Campinas (677 e 683), Vinhedo-Campinas (674 e 688), foi transferido para a Rua dos Expedicionários. A medida foi tomada pela Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos de São Paulo (EMTU), sob a alegação de que a alteração propiciaria mais conforto e segurança aos usuários.
Foi então que os usuários dessas linhas criaram um abaixo-assinado reivindicando o retorno do ponto final para a Rua Dr. Ricardo. Na descrição, os reclamantes de-clararam injustificáveis as razões divulgadas pela EMTU, pois o tempo de percurso entre o ponto e o terminal rodoviário era bem maior.
Entre os vários comentários publicados na petição online, muitos revelam que a mudança não havia trazido qualquer benefício aos passageiros.

Por fim, em março de 2014, a petição venceu e o ponto final retornou para a Rua Doutor Ricardo.

À época, a EMTU reforçou que a Rua dos Expedicionários era melhor estruturada para as paradas dos ônibus; porém, decidiu atender à reivindicação dos usuários.


Fonte:


Notícias relevantes: