Indaiatuba

Cantora pop distribui presentes e alegria no Natal

Mais uma vez, as crianças carentes e os moradores de rua de Indaiatuba receberam a visita do Papai Noel neste Natal. Melhor dizendo, da Mamãe Noel - Júlia Toledo tem somente 15 anos de idade, mas sua inclinação a fazer o bem a acompanha desde cedo, paralelo à vocação artística.

Na tarde do dia 23 de dezembro, a garota saiu rumo a várias regiões da cidade para levar os brinquedos às crianças apadrinhadas por um grupo de voluntários, o Mãos Solidárias, do qual ela faz parte. "Organizamos uma equipe de 40 pessoas que apadrinham menores carentes. No final do ano, eles escrevem cartas com pedidos de brinquedos", conta Júlia.

Amigos

Entre as crianças que receberam os brinquedos, estavam aquelas com deficiência física, que participaram do passeio de limusine, em outubro. Gabriel, o garoto cadeirante, fã de Júlia que sugeriu o passeio no carrão na época, perdeu o pai há 15 dias, devido a um câncer no pulmão, e mesmo assim encontrou motivo para sorrir com a presença da amiga famosa. "Eu fui ao velório do pai do Gabriel; este é um momento muito triste na vida dele, mas eu estou por perto. Gosto de acompanhar o dia a dia dos assistidos. Não é apenas no Natal ou no Dia das Crianças que temos de vir e trazer um presentinho, e depois nem saber como aquela pessoa vive ou se sente. A caridade tem de acontecer o ano inteiro, pois as necessidades das pessoas são diárias", pondera Júlia.
Nas vésperas do Natal, mesmo sabendo da visita dos padrinhos, as crianças demonstraram muita alegria e emoção ao receber os presentes tão esperados. "Eu fui a Mamãe Noel dos sonhos deles. Em cada casa visitada, ficávamos um pouco mais, oferecendo também nosso carinho e atenção", declara.

Ação contínua

Além da entrega de brinquedos às crianças, na noite da quarta-feira antes do Natal, Júlia e os integrantes do projeto Mãos Solidárias levaram alimentos para a ceia dos moradores de rua. "Fomos até os necessitados do Centro, do Parque Indaiá, do Cecap, Jardim Morada do Sol e Santa Cruz. Todos são nossos conhecidos, pois, semanalmente, nas noites de quinta, levamos refeições a eles", diz.

Entre os alimentos distribuídos, a população de rua recebeu arroz, carne, legumes, saquinhos com frutas e refrigerante. Aproximadamente 80 pessoas foram beneficiadas pela ação. "Além da ceia, o amor e atenção que levamos a eles fez toda a diferença. O alimento é importante, mas ouvir suas histórias significa oferecer a eles uma força para que continuem vivendo com esperança", opina Júlia.

(Adriana Brumer Lourencini)


Fonte:


Notícias relevantes: