Indaiatuba

Indaiatuba é penúltima em ranking de investimentos

Indaiatuba ocupa a penúltima posição entre os municípios da Região Metropolitana de Campinas (RMC) em um ranking que mede a participação das receitas de impostos que são aplicadas na área de saúde, segundo estudo realizado com base nos dados do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCE).

Os dados foram obtidos por um especialista na área de finanças públicas que trabalha na Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo e desenvolve, em parceria com uma equipe de técnicos em Finanças e Políticas Públicas, uma série de estudos sobre a cidade e a região.

De acordo com os dados divulgados pelo Tribunal, Indaiatuba destina 23,8% das suas receitas resultantes de impostos para área de saúde, o que coloca a cidade na 19º posição entre os 20 municípios que integram a RMC, à frente apenas de Monte Mor.

A receita resultante de impostos de Indaiatuba, também conforme o estudo, fica atrás apenas de Campinas entre os comparativos. No entanto, com o investimento de 23,8% das verbas, a cidade acaba ocupando uma posição baixa no ranking.

Para o economista Leonardo Monteiro, que comanda o estudo, o investimento ideal para que a cidade pudesse mudar a posição é uma questão que precisa ser analisada sob diversas perspectivas.

"O intuito da divulgação e analise individualizada desses dois indicadores servem apenas como parâmetros que ajudam a nortear estudos mais complexos como os que estamos realizando no momento, e que envolvem, dentre outros, aspectos qualitativos e de efetividade das políticas públicas adotadas pelo município".

Questionada pela Tribuna, a Secretaria Municipal de Saúde afirmou, via assessoria de imprensa, que desconhece o referido estudo, mas salienta que a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) determina que 15% do orçamento da Prefeitura seja usado na Saúde, cumprindo a legislação, inclusive com índices superiores ao estabelecido na Lei, uma vez que o investimento é de 23,8%, 50% a mais do pedido.

"O secretário de Saúde ressalta que Indaiatuba aplica os recursos públicos com responsabilidade, de forma planejada e com transparência não só na Saúde, mas na Educação, Segurança e em todas as demais áreas", disse a Administração Pública, por meio de nota. "Fato reconhecido pelo Tribunal de Contas do Estado, que considerou Indaiatuba a melhor cidade da RMC em efetividade da Gestão Fiscal; pela Firjan, que avaliou Indaiatuba como a melhor Gestão Fiscal do Estado; e pelo Ministério Público Federal (MPF), que classificou Indaiatuba como o maior nível de transparência do Estado", completou.


Fonte:


Notícias relevantes: