Indaiatuba

Organização deficiente marca passagem da presidente

A visita de Dilma Rousseff (PT) na quarta-feira deu o que falar. Cercada por um forte esquema de segurança, a presidente chegou ao Campo Bonito longe das vistas da população e da imprensa. A visita a um dos apartamentos do Residencial Indaiatuba também foi reservada, acompanhada apenas por fotógrafos e cinegrafistas, que foram chamados logo depois que ela e outras autoridades chegaram.

A entrada para o condomínio Embaúba estava bastante estreita para os milhares de contemplados com os apartamentos. Toda a organização do evento ficou a cargo da assessoria do governo federal.

Logo depois de passar pelo portão, a população foi direcionada ao equipamento detector de metais, procedimento de praxe. O que indignou os futuros moradores do Campo Bonito foi o tipo de exigências da equipe de segurança federal. Era pouco mais de 9h e o sol já começava a mostrar a sua força, por isso, muita gente se protegia com sombrinhas - que foram barradas pelos seguranças. Garrafas plásticas de água também ficaram de fora - o objeto poderia ser levado somente se estivesse vazio e dentro da bolsa. Lanches, biscoitos, capacetes de moto e até agulha de insulina foram barrados. E todos esses objetos tiveram de ser deixados no chão, do lado de fora da tenda, sem qualquer garantia de que seriam resgatados pelos seus proprietários.

A tentativa de recuperar os objetos não foi menos frustrante. Segundo testemunhos, os capacetes de moto mais novos foram furtados; e aqueles que saíram mais tarde do evento tiveram que se contentar em levar capacetes mais antigos (o que sobrou) e que, obviamente, não eram os deles.


Fonte:


Notícias relevantes: