Indaiatuba

Pais e Educação chegam a acordo sobre creches

A Secretaria Municipal de Educação se reuniu na semana passada com o líder comunitário dos pais com filhos nas creches para chegarem, juntos, a um acordo que seja adequado a todos. Algumas famílias alegaram dificuldade em se adaptar ao novo horário das creches com período integral.

De acordo com Jamerson Santos, que representou as famílias na reunião, a secretária Rita de Cássia Trasferetti se mostrou flexível e disposta a analisar cada caso. "Rita garantiu que todos os pais que trabalham e necessitam deixar os filhos na creche mais cedo e buscá-los mais tarde poderão contar com horário diferenciado", comenta Jamerson. "Na prática, essas famílias continuarão levando as crianças no horário antigo - das 6h30 às 17h30. Para conseguir isso, basta levar a declaração de emprego na secretaria da creche e preencher o formulário", explica. Os pais que estão desempregados e em busca de um novo trabalho, assim que conseguirem o emprego, devem fazer o mesmo procedimento.

O principal objetivo do encontro foi apresentar formalmente todas as reivindicações dos pais em relação às creches. "Levamos à Prefeitura três pontos principais: mais creches-escolas em tempo integral; retorno do antigo horário e o cumprimento do artigo 53 do Estatuto da Criança e do Adolescente, que assegura às crianças o direito à educação pública e gratuita próxima à sua casa". Além de Rita Trasferetti, participaram do encontro o prefeito Reinaldo Nogueira, o secretário de governo, Carlos Alberto Bargas, a diretora de Educação Básica, Maria Eliane Valezin, e Junia Elisabete, supervisora de creche.

Plantão

Sobre o recesso escolar em julho, a secretária tranquilizou as famílias, afirmando que as creches irão funcionar em esquema de plantão. Quanto à transferência de crianças para instituições longe de suas casas, Rita destacou que nenhuma criança pode ser transferida sem autorização dos pais, e que ela desconhece que fatos como este tenham ocorrido. "Ela se comprometeu a analisar o caso de quem estiver passando por isso", observa Jamerson.

(Adriana Brumer Lourencini)


Fonte:


Notícias relevantes: