Indaiatuba

Garoto de 8 anos participa de concurso mundial

A Toyota do Brasil anunciou na terça-feira os nove vencedores da 4ª edição do concurso cultural Carro dos Sonhos, onde um garoto de Indaiatuba figurou, pela segunda vez consecutiva, como um dos ganhadores. Com oito anos de idade, Otávio Silva Souza foi premiado com um videogame e, ao lado dos outros oito competidores, concorrerá com representantes de 80 países a uma viagem ao Japão para visitar uma das fábricas da montadora e os principais pontos turísticos de Nagoya e Tóquio.

"Ele desenha desde os 3 anos. Sempre desenhava dinossauros, cavalos e bichos em geral. Aí em 2013 surgiu o concurso da Toyota e ele voltou as atenções para os desenhos de carros", conta Welington José Evangelista de Souza, pai de Otávio. "Sempre incentivamos ele a desenhar e, na medida do possível, investindo nesse talento dele. O Otávio é uma criança muito dedicada, ele abdica dos prazeres modernos como redes sociais, aplicativos de mensagens e videogames para treinar e se aprimorar".

Nessa etapa mundial, os desenhos premiados seguirão para o Japão, onde serão avaliados por uma comissãojulgadora conduzida por Akio Toyoda, presidente da Toyota Motor Corporation, entre abril e maio. Dessa forma, os criadores dos três melhores trabalhos de cada categoria ganharão, no segundo semestre, uma viagem ao Japão para participar da cerimônia de premiação.

"Ano passado ele venceu a categoria de 4 a 7 anos e, neste ano, ficou em segundo lugar na categoria de 8 a 11 anos. Ficamos muito satisfeitos com esse resultado visto o aumento considerável da dificuldade em competir com crianças mais velhas e mais preparadas do que ele. Ele é um orgulho para nós!", comemora Welington.

O pai ressalta que sempre conversa com o pequeno sobre a dificuldade que é competir com desenhos do mundo todo. "A diferença de materiais como lápis, borrachas e tintas que são disponíveis no Brasil são muito grandes em comparação aos europeus e asiáticos, o que repercute na qualidade final dos desenhos. Mas a esperança sempre existe e torcemos muito por isso", revelou o pai, comentando sobre a seletiva mundial. "Somos uma família comum, nosso filho sempre estudou em escola pública e nunca tivemos condições de investir nele com materiais caros ou importados. Tudo que o Otávio conquistou foi treinando em casa, desenhando em folhas de caderno comum. Isso é a maior prova de que qualquer um pode conseguir destaque em qualquer área se houver dedicação e apoio da família", finalizou.  

Realizado com o apoio da Fundação Toyota do Brasil, o concurso cultural avaliou mais de mil trabalhos produzidos no País e selecionou os nove melhores. O júri técnico da etapa brasileira teve, entre outros participantes, o presidente da Associação de Mangás, Francisco Noriyuki Sato, e os jornalistas Eduardo Barão e Juliana Bontorim.

(Leandro Povinelli)


Fonte:


Notícias relevantes: