Indaiatuba

Março terá o segundo desligamento das usinas térmicas

O desligamento das térmicas mais caras será feito pela segunda vez em março. A primeira redução foi em agosto do ano passado, quando foram retiradas do despacho de base as térmicas com custo unitário acima de R$ 600/MWh, o que levou à queda no valor da bandeira tarifária vermelha de R$ 5,50 para R$ 4,50 a cada 100 quilowatts-hora (KWh).

No final de janeiro, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) diminuiu o custo da bandeira amarela de R$ 2,50 para R$ 1,50 para cada 100 KWh; e fixou dois níveis para a bandeira vermelha: de R$ 3 e R$ 4,50 a cada 100 KWh.

Para fevereiro, foi determinado o valor de R$ 3 a cada 100 KWh - fazendo com que o custo de geração reduzisse em R$ 1,1 bilhão ao mês. Logo no início do mês, Braga já havia alertado que a bandeira de março seria amarela, o que representa uma redução de mais de 3%, além do desconto de 3% oferecido em fevereiro. Então, a bandeira vermelha passou do patamar 2 para o 1 (denominada bandeira 'rosa'). Após o novo corte, o custo de energia elétrica em abril deverá ficar em torno de 6,5% menor.

A entrada de 6,5 mil MW no parque gerador e o menor consumo de energia foram fatores que também influenciaram na decisão do governo.


Fonte:


Notícias relevantes: