Indaiatuba

Habitação alerta para perfil falso

Em sua página no Facebook, no último dia 19, a Prefeitura divulgou uma nota, dizendo que está de olho nos casos do Campo Bonito, e acompanha as denúncias feitas à Secretaria da Habitação, ou na própria rede social.

Sobre a venda de casas, ela confirma a viabilidade, assim como a Caixa Econômica informou. "As casas do Campo Bonito não foram sorteadas tão pouco doadas, elas foram vendidas. Os compradores poderiam financiar através do Programa Minha Casa Minha Vida, de forma facilitada, porém com pagamento de entrada e de parcelas. Ou até mesmo pagar o valor total do imóvel à vista. Conforme as regras do programa do Governo Federal, quem ainda está pagando financiamento não pode alugar a casa, mas quem comprou à vista ou quitar de forma antecipada, pode. Já a venda pode ser feita a qualquer momento, desde que o comprador pague à vista e quite o financiamento ou financie o imóvel, mas quite o contrato com a Caixa", anunciou em sua página.

Na postagem, a Administração também cita o perfil de Thiago Codarin, que anunciava em vários grupos da cidade o suposto aluguel de um apartamento. Segundo a Prefeitura, o perfil de Thiago é falso.

A Prefeitura destacou que Thiago Codarin não tem cadastro na Secretaria de Habitação, não é funcionário público e não foi contemplado, assim como ninguém da suposta família Codarin. A pessoa cujo nome foi utilizado para criar o perfil falso também foi pesquisada nos cadastros da Habitação e não consta nenhuma contemplação para ela ou familiares.

A Pasta reforçou ainda que os contemplados dos apartamentos do Campo Bonito não podem alugar, ceder ou vender os imóveis nos próximos dez anos, sob pena de perder o direito à unidade.

Projeto habitacional

O projeto habitacional do Campo Bonito foi financiado pelo MCMV, e representa um dos maiores realizados pelo governo na região. Lançado em outubro de 2013, o projeto construiu 2.048 apartamentos populares (faixa 1) e 800 casas (faixa 2), além de disponibilizar 462 lotes mistos na segunda etapa.

Os projetos do empreendimento Campo Bonito foram realizados por meio de parcerias entre a Prefeitura e duas empresas de construção. Os apartamentos foram destinados a famílias com renda até R$ 1.600, e foram subsidiados pelo Ministério das Cidades e pelo programa Casa Paulista, do governo estadual. Já as casas foram financiadas para famílias com rendimentos mensais entre R$ 1,6 mil e R$ 5 mil.


Fonte:


Notícias relevantes: