Indaiatuba

Vendas da Páscoa devem ser até 30% menores

ECONOMIA

A Páscoa será dia 27 de março e promete ser mais magra do que em 2015 no município, conforme apontam comerciantes. A expectativa das vendas é negativa e o mercado não deve absorver grande quantidade de mão-de-obra temporária.

De acordo com empresários do setor alimentício, já no ano passado o período demonstrou queda de aproximadamente 25%. “Em 2016, deveremos faturar cerca de 30% abaixo da média”, estima Adriel Duraes, proprietário de uma franquia de chocolates. “Nosso produto é bastante sazonal, ou seja, vende mais em épocas específicas, como a Páscoa e também no Natal. Inclusive, em dezembro tivemos certa compensação das poucas vendas realizadas na Páscoa passada, pois os consumidores preferiram presentear com chocolate, ao invés de livros ou perfumes”.

Adriel fala ainda que tem o hábito de contratar estagiário ou balconista temporário para a época, mas neste ano será diferente. “Vou trabalhar com o formato padrão da rede, que permite a contratação de um funcionário extra para o ano todo. Pretendo pedir uma força para minha noiva ou meus pais ajudarem na loja”, revela o empreendedor.

João Antônio de Souza Júnior, gerente comercial de uma rede de supermercados, está mais otimista e prevê uma média de vendas igual ou melhor do que na Páscoa de 2015. “A grande diferença está no tempo em que as indústrias tiveram para trabalhar essa sazonalidade no ano de 2015, visto que a data foi comemorada em abril. Esse ano o calendário está mais adiantado do que os consumidores estão acostumados, dando a eles a sensação que a páscoa chegou mais cedo e deixando menos tempo para programar as compras dos produtos específicos da época”, argumenta.

Entretanto, Alex, supervisor da loja de Indaiatuba tem observado um comportamento diferente nos consumidores. “Os clientes estão mais cautelosos e fazem as contas antes de gastar”, observa. “Eles vêm com calculadoras nas mãos e pesam as vantagens em levar este ou aquele produto. Muitas vezes, optam por levar várias barras de chocolate ao invés do ovo, caso compense”, ressalta.

Espaço encolhido

Alex destaca ainda que o display de ovos de Páscoa também diminuiu. “Nos anos anteriores, a sessão dos ovos ocupava toda essa parte, próximo aos produtos hortifrúti. Agora, reduzimos bastante; e acredito que, nesta Páscoa, as vendas deverão ficar até 10% abaixo do esperado”, analisa o supervisor.

Ele salienta também que o supermercado não necessita incrementar a equipe de funcionários. “As contratações temporárias são feitas pelas indústrias e por alguns fornecedores, além de lojas especializadas, que costumam admitir atendentes ou vendedores”, conclui Alex.


Fonte:


Notícias relevantes: