Indaiatuba

Conselho aprova R$ 5 milhões para Haoc

As obras de construção do novo prédio do Hospital Augusto de Oliveira Camargo (Haoc) irão receber um incentivo de monta. O Conselho Municipal de Saúde (CMS) aprovou, na última quarta-feira, o aporte de R$ 5 milhões para auxiliar na ampliação das instalações, que irão atender pacientes do Serviço Único de Saúde (SUS).

O repasse foi aprovado por unanimidade, durante a reunião extraordinária do Conselho, no auditório do Paço Municipal. "Este tema deverá ainda passar pela deliberação na Câmara", comenta o presidente do CMS, Luiz Medeiros. "Certamente, uma obra que irá beneficiar a maioria da população, não terá recursos barrados", continua.

A apresentação foi realizada por Wilson Silva Júnior, responsável pela construção do novo prédio do Haoc. Os recursos injetados são próprios e provêm do Fundo Municipal de Saúde (FMS). "Este recurso já estava em stand-by por parte do governo do município. As obras estavam utilizando uma parte da verba da iniciativa privada, a qual é bem pequena, de acordo com o diretor do hospital, Ronaldo Garcia - não chegando à casa de R$ 1 milhão. Isso, obviamente, ocorreu em virtude da crise econômica que obriga empresários a cortar despesas", explica Medeiros.

O presidente do Conselho diz ainda que os R$ 5 milhões representam um auxílio do município para a construção do novo prédio. "Não se trata de um convênio ou de contrato, mas, apenas auxílio. A edificação está estimada em aproximadamente R$ 20 milhões, e contempla um prédio de cinco andares, sendo o primeiro andar para a recepção, dois andares para o SUS e dois para convênio".

Construção e reforma

O novo prédio terá 7,4 mil metros quadrados de construção, com cinco pavimentos e 116 apartamentos. "Serão acrescidos mais 50 leitos que, somados aos outros, irão superar os 150 para o SUS. Porém, não podemos informar um número fechado por conta da reforma interna do prédio antigo, já que alguns leitos serão retirados para readequação das [Unidades de Terapia Intensiva] UTIs", ressalta o presidente do CMS.

Medeiros lembra ainda que o projeto atende às diretrizes do Ministério da Saúde (MS), no quesito construção. "Hoje existe um protocolo, o que não acontecia quando o Haoc foi construído. Além do novo edifício, haverá uma remodelação no layout interno do hospital, a fim de adequarmos a UTI, incluindo a pediátrica. No total, o Haoc terá 17,4 mil m² construídos".

Sobre as adaptações no espaço, a arquitetura do hospital deve ser respeitada, já que o prédio do Haoc é tombado. "Fizemos o Centro Obstétrico na parte antiga; então, iremos reformar a área atual da maternidade e transformaremos outras alas também", afirmou Ronaldo Garcia.

Questionado pelos conselheiros a respeito da interligação dos prédios, o diretor do Haoc falou que serão instalados elevadores e rampa de acesso, fazendo a conexão com o pronto socorro, que fica ao lado do novo prédio.


Fonte:


Notícias relevantes: