Indaiatuba

Campo Bonito ainda sofre com ônibus lotados

ÔNIBUS

O transporte público no Campo Bonito continua sendo motivo de reclamação e preocupação para os moradores do bairro. Nesta semana, a Tribuna conferiu a situação dos usuários e fez um dos percursos realizados pelo ônibus, constatando os problemas relatados pelos usuários da linha. Após quase 15 dias da implantação da linha direta para o Centro da cidade, ainda há denúncias de superlotação.

"No final da tarde de terça-feira, o ônibus fazia o trajeto na Avenida Ário Barnabé e, como de costume havia muita gente esperando nos pontos, mas o motorista não tinha condições de parar, pois não cabia nem mesmo uma mosca lá dentro", exclama Ricardo César Parafatti, que diariamente necessita tomar o transporte para a região central. "As pessoas ficaram tão revoltadas que começaram a bater na lataria do ônibus, pelo lado de fora, mas a culpa não era do motorista; é que realmente não havia espaço para mais ninguém", reforça.

Sergio Messias, outro usuário do transporte, lembra que, além da superlotação, os passageiros também enfrentam problemas como falhas mecânicas dos veículos, que são frequentes, de acordo com ele. "Quando o ônibus quebra, ficamos um tempão esperando. Eu entro no serviço às 7h, mas teve vezes em que cheguei lá às 8h30. O patrão entendeu, mas se isso continuar acontecendo sempre poderemos ser prejudicados", reclama.

Rosana Alves também depende do coletivo durante a semana, para trabalhar e levar o filho à escola. "Pego o ônibus no horário das 5h30 ou 5h40 e, várias vezes, ele passou até 20 minutos atrasado" lembra. "Acho que eles deveriam colocar mais veículos nessa linha, pois a lotação é muito grande, sendo raro a gente conseguir lugar para sentar", sugere. A usuária diz ainda que os motoristas são frequentemente agredidos (verbalmente) pelos passageiros. "Não acho isso certo, pois a culpa não é deles. Já vi até estudantes ofenderem motoristas por causa da lotação ou de atraso, mas eu e outras pessoas saímos em defesa do condutor", acrescenta.

Experiência

No final da tarde da última quinta-feira, uma equipe da Tribuna fez o percurso de retorno do ônibus direto para o Campo Bonito. Dois repórteres tomaram o coletivo que sai do Centro às 17h e chegaram ao bairro pouco depois das 18h. Lá dentro, puderam sentir na pele o que os passageiros vivenciam todos os dias: lotação e um longo tempo de viagem até chegarem em casa.

"Ficamos em pé durante o percurso, a fim de disponibilizar lugar para a população. Era difícil conseguir se segurar, devido à lotação que foi aumentando; e muitos passageiros disseram que chega a ser pior, principalmente após as 18h", relatou a repórter Fernanda Bugallo. "Havia crianças, idosos e pessoas obesas que não conseguiram um lugar para se sentar. Eles disseram estar felizes por acompanharmos seu drama diário e revelaram que, além da lotação, a linha tem muitos atrasos", completou.


Fonte:


Notícias relevantes: