Indaiatuba

Alunos reclamam de indução ao erro por examinador em exame para CNH

EXAME

Dezenas de alunos fizeram na manhã de quarta-feira o exame prático para conseguir a Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Parte deles, no entanto, foi reprovada e acusa o examinador de indução ao erro.

Após a prova da baliza, feita próximo à Guarda Civil, na Marginal do Parque, os futuros motoristas saem para o percurso, nas ruas da cidade, que foi onde ocorreu o problema.

Segundo alguns reprovados, o examinador do Departamento Estadual de Trânsito (Detran), teria pedido para que estacionassem em local proibido, inclusive com placas que apontavam a proibição e em guias rebaixadas.

A aluna Karen foi uma das prejudicas. No local, com a avaliação em mãos, contou que o representante do Detran "implicou" com o pé dela na embreagem. "Ele fez da mesma forma que eu, não estava errado", reclama. "Depois, para estacionar, tinha uma placa de proibição e ele me mandou estacionar da mesma forma", prosseguiu a menina. "Eu e outras pessoas reclamamos, então ele começou a aprovar vários de uma vez. Não é justo pagar uma prova e ter essa má conduta do examinador, é falta de ética, moral e integridade total", disparou. O operador de máquinas José Luiz Amstalden da Silva, relatou o mesmo ocorrido. "Fui até a Rua Laura Fachinni Tomazetto e ele me pediu para estacionar, mas não tinha mais vaga, só guia rebaixada, obstrução de porta etc., então achei melhor não fazer, ele então disse que desrespeitei sinalização da via e agente de trânsito", lembrou. "Continuando o percurso, em frente ao estacionamento do Good Bom, me pediu outra parada onde não podia; eu o avisei e ele me disse que eu estava 'espertinho'. Finalizei o percurso e ele me tirou três pontos, me reprovando".

Instrutores

A situação revoltou também os instrutores de autoescola, que tiveram alunos prejudicados. "Eder Wagner Dias Ferraz era instrutor prático de José Luiz. "Depois do que aconteceu, fui com ele e constatei que ele não poderia ter estacionado ali; o examinador alegou que tinha vaga, mas não tinha", garantiu.

Klauss Conde também é instrutor e está indignado com o que vem ocorrendo nos exames. "Essa não é a primeira vez que tem reclamações assim, os examinadores fazem rodízio em várias cidades e não possuem a menor noção de leis de trânsito, prejudicando os alunos", alegou. "Eles não têm interpretação da lei, cada um cobra de uma maneira e fazem parecer que nós, instrutores, não sabemos dar aula".

Ainda de acordo com instrutores, um examinador até bateu o carro quando saía do exame, precisando de um guincho para ir embora da cidade.

Associação

A associação de autoescolas da cidade está tentando intervir na situação. Alexandre Coutinho é o presidente do órgão e solicitou uma reunião com diretores do Detran local. "Mas que não chegou a resultado algum", relatou.

Para ele, os examinadores são despreparados e não deveriam estar fazendo as avaliações, mas garantiu que a associação irá brigar para condições melhores na realização dos exames.


Fonte:


Notícias relevantes: