Indaiatuba

Ex-presidente da Viação Indaiatubana e dono do jornal Diário Grande ABC é preso pela Lava-Jato

LAVA-JATO

O empresário e ex-presidente da empresa de transporte público de Indaiatuba, Viação Indaiatubana, Ronan Maria Pinto, foi preso hoje (01/04) pela Polícia Federal na região de São Paulo sendo levado para a sede da Polícia Federal de carro. A prisão tanto de Ronan, quanto do ex-secretário-geral do PT, Sílvio Pereira, é temporária, vale por cinco dias e pode ser prorrogada com autorização da Justiça. Trata-se da 27ª fase da operação Lava Jato, que apura esquema de corrupção envolvendo contratos da Petrobras.

Ronan Maria Pinto foi citado na operação Lava-Jato no ano de 2012 durante a 24ª fase da operação. Os procuradores do Ministério Público afirmaram que Ronan teria recebido mais de R$ 5 milhões do banco Schahin, com recursos desviados da Petrobras, para beneficiar pessoas ligadas ao PT. E ainda como a pessoa que chantageou o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o secretário-geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, a respeito do caso Celso Daniel.
O dono do Diário do Grande ABC, teria usado parte de um empréstimo de R$12 milhões feito por Bumlai no Banco Schahin, em setembro de 2004. De acordo com os investidores, parte da verba foi repassada para Ronan totalizando R$6 milhões. Este teria utilizado parte dessa verba para a compra do acionário do Jornal do Grande ABC em parcelas de R$210 mil.

Segundo investigadores da Lava Jato, o dinheiro recebido por Ronan veio de um empréstimo quitado de maneira fraudulenta tendo o esquema articulado pelo ex-secretário do PT, Silvio Pereira.

A Tribuna entrou em contato com o Departamento Jurídico da Viação Indaiatubana para obter um posicionamento sobre o caso e eles afirmaram que não receberam nenhum documento oficial e não poderiam se manifestar a respeito.

Entramos em contato também com o advogado da Viação Indaiatubana também, mas ele prefere não se posicionar a respeito do assunto.

Viação Indaiatubana e Guaianazes

A viação Guaianazes, empresa de transporte público que circulava em Indaiatuba, foi constituída em 1999 tendo como sócios-diretores Ronan Maria Pinto e ex-esposa Terezinha Fernandes Soares Pinto. Em 2010 a mesma empresa passa a se chamar Viação Indaiatubana.
No ano seguinte, Ronan Maria Pinto retira-se da sociedade e já introduz seus filhos Danilo Regis Fernandes Pinto e Lidiane Helena Fernandes Pinto como sócios. Mas ainda, Terezinha permanece como sócia-diretora.

Somente no ano de 2013, a Viação Indaiatubana passa a ser administrada por Danilo Regis e Lidiane Helena que assumem em 10 de Maio. E nesse mesmo mês, no dia 13, a ex-esposa de Ronan, Terezinha Fernandes Soares Pinto, retira-se da sociedade completamente.


Ronan foi sócio do dono do BVA

Na reportagem publicada pelo jornal Tribuna de Indaiá em 13 de Novembro de 2012 foi apurado que o banqueiro José Augusto Ferreira dos Santos, dono do BVA, já foi sócio do empresário Ronan Maria Pinto, proprietário da Viação Indaiatubana.

Ambos foram acusados pelo Ministério Público Estadual de integrarem a “máfia do lixo” em Santo André, que veio à tona com a morte do prefeito petista Celso Daniel, em 2002.


Fonte:


Notícias relevantes: