Indaiatuba

Grupos de risco são preferenciais na campanha federal

Todas as pessoas com mais de seis meses de idade devem se vacinar contra a gripe, entretanto, as crianças pequenas, os idosos, portadores de doenças crônicas, grávidas e profissionais de saúde integram os grupos mais vulneráveis e, portanto, têm prioridade na vacinação.

Além deles, podem se vacinar as pessoas que fazem uso de corticoides, os cardiopatas, os que têm problemas pulmonares, diabéticos, indivíduos com Aids e renais crônicos que não tomaram a dose em 2015.

Joana Lopes de Oliveira Carvalho tem 56 anos e é portadora de lúpus, o que a coloca no grupo de risco. "Não posso pegar nenhuma doença e esta foi a principal razão de eu ter me antecipado; além disso, não me vacinei no ano passado", comenta, enquanto aguardava para ser imunizada em uma clínica da cidade.

Nilza Rosário Rodrigues mora com a família em Monte Mor, mas veio para Indaiatuba vacinar os netos de dois e cinco anos. "Em minha cidade não existe um laboratório que disponibilize a vacina e nós não quisemos esperar; já somos clientes de todas as vacinas nesta clínica", declara.

O morador do Vitória Régia, Vanilson do Prado, também veio para um laboratório no Centro da cidade para garantir sua imunidade. "Quando eu trabalhava em São Paulo, a própria empresa oferecia as vacinas. Depois que saí de lá, mantive o hábito".

Segurança

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), há uma preocupação mundial em relação a surtos de gripe, e a vigilância do vírus Influenza é feita constantemente em mais de 80 países, incluindo o Brasil.

A vacina contra a gripe é utilizada em todo o mundo, e tem se mostrado eficaz em praticamente 90% dos casos, desde que tomada na época adequada. "Se a pessoa estiver com febre ou for alérgica ao ovo, nós adiamos a vacinação", enfatiza Larissa. "Embora haja casos de alérgicos que, sob acompanhamento médico tomaram a vacina e não tiveram reações adversas", examina.


Fonte:


Notícias relevantes: