Indaiatuba

Plano de Arborização dá diretrizes para plantio

O Plano de Arborização Urbana (Decreto 12.454 de maio de 2015) é um documento que organiza e dá as diretrizes para os plantios no município. O documento surgiu da necessidade de se manter as áreas verdes próximas à cidade, que se tornavam comprometidas com o aumento populacional e crescente industrialização.

Realizar o inventário das espécies presentes nos logradouros públicos, assim como em praças e canteiros centrais, foi um dos objetivos do Plano de Arborização. Além disso, pretendeu-se indicar espécies recomendadas (ou não) para a arborização urbana em Indaiatuba. Para isso, foram utilizados dois métodos: qualitativos e quantitativos, por meio de processo amostral para identificação das espécies e avaliação fitossanitária e sensoriamento remoto.

Foi feito, então, um mapeamento das árvores existentes e, em seguida, uma lista de todas as espécies, com nomes, localização, e características atuais: vitalidade, danos físicos, interferências de fiação elétrica etc. Entretanto, conforme mencionado no próprio projeto, torna-se difícil inventariar 100% de todas as árvores da cidade, o que representa um trabalho oneroso e demorado. "Por isso, dividimos o município em 163 setores e, posteriormente, os resultados foram aplicados nas demais áreas não inventariadas", esclarece Selone.

Neste ponto, o vereador Carlos Alberto Rezende Lopes, o Linho (PT), afirma desconhecer estudos efetivos da flora e fauna locais. "A arborização data da década de 1980, e foi realizada sem conhecimentos técnicos. Fo-ram plantadas muitas espécies inadequadas no município, como a sibipiruna e o flamboyant, que possuem raízes aéreas, muito grandes, o que causa problemas em ruas e imóveis", salientou.

Linho complementa, dizendo que não existe também projeto de substituição das árvores. "A erradicação de uma árvore depende do Ministério Público, que tem sido muito severo quanto a isso", emendou. O vereador elaborou um Plano Diretor de Arborização Urbana, mas que não foi aceito. "Tenho projeto completo, em que coletei dados de várias cidades onde ele foi implantado; porém, o Executivo não aceita, alegando invasão de competência".


Fonte:


Notícias relevantes: