Indaiatuba

Seguro de carros usados pode custar 30% menos

SEGURO

O Conselho Nacional de Seguros Privados (CNSP) aprovou na semana passada as normas do seguro popular de automóveis. A decisão, publicada no Diário Oficial da União, no dia 1º de abril, teve como objetivo criar a modalidade de seguro que beneficia os proprietários de veículos com mais de cinco anos de uso.

Conforme a superintendência de Seguros Privados (Susep), a principal característica do novo seguro será a utilização de peças recondicionadas ou seminovas para o reparo dos veículos - o que irá obedecer a Lei 12.977/2014, que regulamenta os desmontes de veículos no Brasil.

Para Hely Peres, empresário do ramo de seguros, a nova medida deverá impulsionar a procura por seguros de carros usados. "Atualmente, a frota nacional segurada fica em torno dos 20%; quando pensamos no universo de 80% a ser explorado, acredito que o cenário seja bastante positivo, pois conseguiremos atingir um público que até o momento não tinha condições de garantir a segurança de seu bem", avalia.

Hely lembra também que o mercado de seguros enfrenta retração, assim como ocorre em outros setores em meio à crise econômica que vive o país. "As pessoas que possuíam três automóveis, agora, estão apenas com dois, e quem tinha dois ficou só com um. Há ainda os que têm só um e já pensam em vendê-lo, devido aos custos que um veículo demanda", observa o empresário.

O vendedor Gláucio Coelho Silva, 34 anos, possui um veículo da marca Renault, ano 2004, e revela que não faz o seguro porque considera o custo um pouco alto. "Consegui trabalho recentemente e o salário está todo comprometido. Nem cheguei a fazer a cotação, pois não posso sair do orçamento", conta. Seu carro fica com a esposa durante o dia, no estacionamento do trabalho dela, e à noite pernoita em garagem. "Reconheço que existe um risco, mas no momento, o custo é realmente inviável", reforça.

Apesar da decisão favorável do CNSP, o momento é de ter os pés no chão, conforme aponta Hely. "Estamos no mercado há 27 anos e atuamos com todos os tipos de seguro. Para fazer frente a vários negócios, é necessário trabalhar de acordo com a realidade dos clientes", conclui.

Perfil

Os preços de seguros variam de acordo com ano, modelo e marca do carro, assim como o perfil do proprietário. Por exemplo, uma pessoa que deixa o veículo na rua durante a semana irá pagar mais do que outra que utilize uma garagem. Por isso, automóveis de mesma marca, modelo e ano podem ter um valor de seguro diferenciado.

O perfil de risco é um dos pontos mais importantes avaliados na aquisição de um seguro. Para ilustrar um caso de baixo risco, podemos citar uma mulher casada, de 60 anos, única condutora e cujo veículo pernoite na garagem; já um homem solteiro, na faixa dos 18 anos, cujo carro pernoite na rua representa um fator de risco alto.

(Adriana Brumer Lourencini)


Fonte:


Notícias relevantes: