Indaiatuba

Ronan Maria Pinto é denunciado pela Lava Jato

LAVA JATO

O ex-presidente da Viação Indaiatubana e dono do jornal Diário Grande ABC havia sido preso temporariamente pela operação Lava-Jato no dia 01 de Abril desse ano. A prisão, que durou cinco dias, fazia parte da 27ª fase da operação Lava Jato, que apura esquema de corrupção envolvendo contratos da Petrobras.

Agora Ronan é denunciado por lavagem de dinheiro e também atinge Delúbio Soares,  o ex-tesoureiro do Partido dos Trabalhadores (PT) e mais sete pessoas. Todos devem responder por lavagem de dinheiro. Os procuradores pedem que o grupo repare o erário em R$ 6 milhões.

Ronan Pinto é investigado pelo recebimento dessa verba de um empréstimo entre o pecuarista José Carlos Bumlai – também preso pela Lava Jato – e o Banco Schahin, que foi fraudado.

Ainda sem provas se Ronan recebia esse dinheiro, o Ministério Público Federal recebeu o depoimento de Marcos Valério, operador do mensalão, que afirma que parte do empréstimo obtido por Bumlai era destinado a Ronan. De acordo com o procurador Diogo Castro de Mattos, o dinheiro seria para comprar ações do jornal "Diário do Grande ABC".

O procurador Mattos ainda afirma que o fato de comprar ações do jornal "Diário do Grande ABC" está inteiramente ligado à denúncias da morte do ex-prefeito de Santo André Celso Daniel em que aparece o nome de Ronan. 


Fonte:


Notícias relevantes: