Indaiatuba

Comércio no Centro viabiliza acesso de população carente a roupas e alimentos

HUMANITÁRIO

Os proprietários de um comércio de alimentos localizado no Centro da cidade tiveram uma iniciativa pouco comum para ajudar a quem precisa. Eles disponibilizaram um espaço na área externa onde são depositadas roupas e agasalhos destinados a moradores de rua.

A ideia surgiu há cerca de um mês, e o casal de empresários contou com a ajuda da comunidade para iniciar o projeto. “Batizamos de Empório Solidário e, até agora a iniciativa tem dado certo”, comenta a proprietária, que prefere não ter seu nome divulgado. “Meu objetivo não é divulgar o comércio, mas proporcionar um pouco mais de conforto aos que têm tão pouco”, revela.

Ela conta que os próprios clientes costumam praticar a solidariedade. “Normalmente, quando passa um pedinte por ali, o próprio consumidor que está na mesa vem e paga um sanduíche ou salgado para a pessoa”, comenta a dona do empório. “Dessa forma, meu marido sugeriu a instalação de uma geladeira próximo às mesas que estão do lado externo. Só não fizemos isso ainda porque estudamos uma forma de fixar a geladeira no local”.

Ainda na parte externa, os comerciantes decidiram fixar uma caixa com saquinhos plásticos para que as pessoas possam recolher a sujeirinha dos cachorros. “Nossa clientela é fiel e composta de gente que mora, estuda ou trabalha por aqui; e aqueles que passam com seus bichinhos podem contar com a praticidade do saquinho, caso o cãozinho decida se aliviar por aqui”, brinca.

Vale Amigo

Os proprietários do estabelecimento também criaram recentemente o Vale Amigo, que é uma forma de mitigar a fome da população carente local. “Com o Vale Amigo nossos clientes proporcionam o conforto do alimento para os moradores de rua. A campanha faz parte do Empório Comunidade e consiste em ceder uma parte do valor da compra para beneficiar os necessitados", explica a empresária. "Por exemplo: se a pessoa gastou R$ 3 em um café, ela deixa R$ 5 e, então, o troco fica para o vale”.

Os vales são, assim, fixados em uma cesta na parte de fora do comércio, onde são retirados pelos mendigos e trocados por alimentos. “Eles trocam por pães, salgados, pedaços de bolo, café com leite etc.”, completa.

Ela emenda dizendo que a ideia é muito recente e boa parte dos carentes, e dos próprios clientes, ainda não está sabendo. “Começamos devagar, para ver se a ideia pega. Acreditamos que será um sucesso, como as doações de roupas”, arrisca.


Fonte:


Notícias relevantes: