Indaiatuba

Nível de emprego volta a crescer na indústria

ESPERANÇA

A indústria voltou a contratar em Indaiatuba. Pelo menos é o que mostra o Indicador de Nível de Emprego da indústria paulista, divulgado na terça-feira pelo Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos da Fiesp e do Ciesp (Depecon), com base nos números da Diretorial Regional do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo. O resultado para o mês de abril deste ano foi de 1,26%, o que representa a abertura de 1.050 postos de trabalho.

No ano, porém, o acumulado é de -1,84%, ou seja, queda de aproximadamente 1.550 vagas. Nos últimos 12 meses, o nível caiu 10,03%, representando um recuo de aproximadamente 9.250 postos de trabalho. Quando comparados os meses de abril dos anos de 2015 e 2016, o cenário é pior, pois em abril de 2015 o resultado foi positivo em 1,79%.

De abril de 2014 a abril de 2016, a regional soma sete resultados positivos e 17 negativos. Entre os positivos, o deste ano é o segundo melhor, atrás somente do crescimento de 1,8% em abril de 2015. Entre os negativos, destaque para dezembro de 2015 (3,4%) e março de 2016 (-2,5%).

O índice de abril foi influ-enciado pelas variações positivas dos setores de Produtos Alimentícios (13,93%); Máquinas, Aparelhos e Materiais Elétricos (2,73%); Produtos Têxteis (1,02%) e Confecção de Artigos do Vestuário e Acessórios (0,74%).

Estado

Os números valem para a regional de Indaiatuba, composta por 12 municípios. O resultado da cidade é um dos melhores da Região Metropolitana de Campinas (RMC) e também do Estado, que fechou 4 mil vagas de trabalho em abril.

É o primeiro abril negativo da série histórica - desde 2006 - do Estado. Apesar do saldo negativo, o gerente do Depecon, Guilherme Moreira, acredita que o ritmo de demissões diminuirá, se comparado ao registrado no último ano, e que esta será a tendência para os próximos meses. "Com o forte ajuste que a indústria tem feito desde o ano passado e as expectativas de mudanças da condução da política econômica do país, nossa esperança é que as demissões comecem a perder ritmo".

Com esse resultado, nos primeiros quatro meses de 2016 a indústria acumula a perda de 34,5 mil postos de trabalho. A expectativa para o fechamento do ano é de cerca de 165 mil vagas a menos. Em 2015, esse número ficou em 235 mil.

Das 36 diretorias regionais, 20 sofreram variação negativa no nível de emprego em abril e 16, incluindo Indaiatuba, contrataram mais do que demitiram.

O destaque positivo ficou para as cidades de Sertãozinho, com 10,04%; Jaú, 4,35%; e Santa Bárbara D'Oeste, 3,29%, enquanto o negativo ficou para São Caetano do Sul, com queda de 2,35% das vagas de trabalho; Guarulhos, 2,11% a menos, e Bauru, queda de 1,80%.


Fonte:


Notícias relevantes: