Indaiatuba

Desemprego avança 0,21% e fecha 143 postos de trabalho

DESEMPREGO

O desemprego voltou a crescer em Indaiatuba. De acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), o recuo foi de 0,21% no mês de abril, o que significa o fechamento de 143 postos de trabalho na cidade.

No quarto mês do ano, foram contratadas 2.198 pessoas, enquanto houve 2.341 desligamentos no município, culminando na variação negativa para o período.

Em todo o ano de 2016, o acumulado foi de -0,76%, ou seja, menos 525 vagas - no primeiro quadrimestre do ano, foram 9.768 admissões contra 10.293 demissões.

Nos últimos 12 meses - de maio de 2015 a abril de 2016 - o resultado é ainda pior, já que a variação foi de -4,5%. As demissões chegaram a 32.169 contra apenas 28.931, somando 3.238 postos de trabalho fechados em Indaiatuba.

O setor de serviços cresceu 0,7% e a agropecuária avançou 3,02%. O setor com mais desligamentos foi o da indústria de utilidade pública, com recuo de 1,73%, seguido da construção civil (-1,25%), do comércio (-1,21%) e da indústria de transformação (-0,36%).

Indústria

O índice de emprego na indústria foi responsável por um resultado menos drástico para a cidade. Como já havia mostrado a Tribuna no mês passado, o Indicador de Nível de Emprego da indústria paulista, levantado pelo Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos da Fiesp e do Ciesp (Depecon), com base nos números da Diretorial Regional do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo, Indaiatuba voltou a crescer.

Foi um aumento tímido, de apenas 1,26% no mês de abril, mas que representou a abertura de 1.050 vagas - praticamente metade do que foi aberto em toda a cidade no período.

No ano, porém, o acumulado é de -1,84%, ou seja, queda de aproximadamente 1.550 vagas.

Nos últimos 12 meses, o nível caiu 10,03%, representando um recuo de aproximadamente 9.250 postos de trabalho. Quando comparados os meses de abril dos anos de 2015 e 2016, o cenário é pior, pois em abril de 2015 o resultado foi positivo em 1,79%.

De abril de 2014 a abril de 2016, a regional soma sete resultados positivos e 17 negativos. Entre os positivos, o deste ano é o segundo melhor, atrás somente do crescimento de 1,8% em abril de 2015. Entre os negativos, destaque para dezembro de 2015 (3,4%) e março de 2016 (-2,5%).


Fonte:


Notícias relevantes: