Indaiatuba

Alto investimento ainda emperra ampliação do sistema

A maior implantação da energia fotovoltaica seria uma excelente saída para o cenário energético do país, mas o diretor do Senai faz um alerta de que o Brasil não conseguirá suprir toda a produção de energia somente com a fotovoltaica. "Isso ocorre principalmente por questão de custo. O custo dela ainda é muito alto". Se por um lado o custo é alto, por outro lado os brasileiros estão de olho nessa tecnologia e diminuir a poluição do meio ambiente. "Existe também um outro estudo da Aneel que até 2024 um milhão de brasileiros vão gerar a sua própria energia", completa Quirino.

Atualmente, o Brasil possui aproximadamente 1,9 mil estabelecimentos que têm instalado o sistema de geração de energia fotovoltaica. O professor explica que o sistema fotovoltaico pode ser feito de duas maneiras. "A primeira forma é ter uma usina de geração de fotovoltaica e distribuir essa energia para vários consumidores. A segunda forma, que é o próprio conceito dessa fonte de energia, é o que a gente chama de energia distribuída. Ou seja, você terá placas em cima do seu telhado gerando a sua própria energia".

Quirino ainda coloca a primeira opção como algo mais complicado e encarecedor de todo o processo. "Quando você tem uma usina de energia fotovoltaica, você precisa transmitir essa energia para os consumidores também. Então tem linha de transmissão e linha de distribuição, que geram manutenção. Agora, quando você coloca ela na sua unidade, você está gerando diretamente para o seu estabelecimento", completa.

O sistema de geração de energia por meio da fotovoltaica, de acordo com Quirino, para uma residência comum gira em torno de R$ 20 mil a R$ 25 mil. "Esse investimento realizado pela família retorna em uma média de cinco a sete anos. Vale muito a pena principalmente para quem está construindo a casa", afirma. O professor ainda comenta que, para quem tem o sistema instalado em casa, o excedente de energia torna-se crédito nas concessionárias e é válido por até 60 meses parao mesmo CPF ou CNPJ.

Na cidade de Indaiatuba, existem placas fotovoltaicas que foram instaladas pela Prefeitura, no ano passado, em uma área que fica ao lado da Pista de Skate, em frente ao Jardim Esplanada II. Foram investidos R$ 150 mil e o sistema tem capacidade para produzir até 2 mil KWh por mês, o que é suficiente para abastecer entre 200 e 400 lâmpadas pelo mesmo período, dependendo da potência. O equipamento tem um relógio que mede a produção de energia. Dessa forma, com base nesse registo, a Prefeitura de Indaiatuba terá desconto na conta de energia mensal.


Fonte:


Notícias relevantes: