Indaiatuba

Indaiatuba registra primeiro caso de zika vírus em gestante

SAÚDE

O município registrou nesta semana o primeiro caso de zika Vírus em gestante. A contaminação pelo vírus foi confirmada pelo Instituto Adolfo Lutz na terça-feira, dia 7.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, a gestante de 26 anos, que é moradora do Jardim João Pioli, procurou a Unidade Básica de Saúde (UBS) de seu bairro no dia 25 de abril. Ela apresentava mialgia (dores musculares), cefaleia (dor de cabeça), dor de garganta, exantema (manchas pelo corpo) e fraqueza. Ela também informou que o ciclo menstrual estava atrasado.

Segundo a assessoria de imprensa da Pasta, a Secretaria de Saúde fez todas as investigações e o caso foi considerado autóctone (de origem da própria cidade), tendo em vista que a paciente não havia feito viagens recentes. Ainda de acordo com a secretaria, a enfermeira do acolhimento da UBS fez todos os procedimentos, como o teste rápido, e foi confirmada a gravidez. "A gestante passou a ser acompanhada enquanto aguardava os demais resultados do instituto de exames como de zika,dengue e H1N1. Atualmente, a mulher está com cerca de 12 semanas de gestação", informou a Pasta.

O secretário Municipal de Saúde, José Roberto Stefani, informou que esta mãe será acompanhada pela Pasta. "Agora é acompanhar o bebê", resume. "Não tem como ter a certeza de que a criança vai ter microcefalia, vamos ter que acompanhar, porque o zika vírus fica na placenta durante a gestão toda", explica. "Estamos torcendo para não ter nenhuma alteração com este bebê, até porque estamos aprendendo junto com a população médica mundial sobre as diversas reações e problemas que o zika está trazendo", acrescenta o secretário, citando algumas consequências do vírus já conhecidas da comunidade médica, como a microcefalia e a Síndrome de Guillain-Barré (SGB). "O que conforta um pouco é que a grande maioria dos bebes não nasce com problemas", completa Stefani.

Casos

Indaiatuba notificou neste ano, cinco casos suspeitos de zika, todos em gestantes e quatro foram descartados - por recomendação do Ministério da Saúde, somente os casos em mulheres grávidas estão sendo contabilizados e acompanhados para as estatísticas.

A contaminação com chikungunya também tem um caso positivo na cidade. Segundo a Pasta, trata-se de um paciente que foi infectado no Estado do Alagoas. Um outro caso suspeito do vírus ainda aguarda confirmação do Lutz.

O número de contaminados por dengue é maior, apenas neste ano foram registrados 354 casos positivos, sendo 339 autóctones e 15 importantes. Outras 113 pessoas aguardam os resultados do Adolfo Lutz.


Fonte:


Notícias relevantes: