Indaiatuba

Funcionários do Detran entram em greve

A unidade do Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran.SP) de Indaiatuba, localizada no Poupatempo do Parque Mall, entrou em greve na manhã de ontem. Apesar da paralisação, o órgão garantiu que parte do efetivo continua trabalhando e que não houve prejuízo dos atendimentos.

Por meio de sua assessoria de Comunicação, o Detran acrescentou ainda que o atendimento é mantido com os funcionários terceirizados e a parcela de servidores que optaram por cumprir com suas atividades e não aderir ao movimento. Além disso, a lei de greve prevê a continuidade do serviço público prestado. Portanto, a categoria deverá conservar uma parcela do efetivo trabalhando.

"Eu vim para renovar a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e tive de esperar cerca de uma hora", comenta Maria Clara Araújo. "Não vi muita diferença no tempo de espera, pois da outra vez foi a mesma coisa", acrescenta.

Paulo Celso, por sua vez, nem sabia da greve do Detran.SP. "Vim fazer o licenciamento e nem percebi que estavam em greve, pois fiquei menos de dez minutos ali dentro; foi muito rápido", completa. O mesmo aconteceu com Ana Paula M. Pires, que foi até o Poupatempo para tirar a CNH. "A fila estava normal, e esperei em torno de 20 minutos para concluir todo o procedimento", revela.

Em nota, a assessoria do Detran reforça que fará todos os esforços necessários para manter o atendimento nas unidades em greve, minimizando os impactos negativos que a paralisação possa causar aos usuários. Porém, o órgão ressalta que o prazo de emissão de alguns documentos pode ser maior do que o habitual.

O Poupatempo informa, também via assessoria de Comunicação, que todos os serviços estão sendo prestados normalmente na unidade de Indaiatuba. A paralisação afeta apenas os serviços de retaguarda do Detran.SP e, mesmo assim, 30% do pessoal da autarquia continua trabalhando.

Atrasos

A greve deve atrasar a entrega de documentos solicitados a partir desta semana. Aqueles normalmente entregues em até três dias úteis poderão demorar aproximadamente uma semana. Os atrasos podem ser maiores se a greve persistir e a adesão aumentar.

O órgão reitera que tem buscado manter seu padrão de excelência, reforçando o quadro de pessoal onde for possível para atenuar os efeitos da greve.


Fonte:


Notícias relevantes: