Indaiatuba

Convênio libera R$ 500 mil para mobilidade

MOBILIDADE

Indaiatuba deverá receber cerca de R$ 500 mil para aplicar no setor de Mobilidade Urbana. O convênio assinado pelos prefeitos da Região Metropolitana de Campinas (RMC), durante encontro do Conselho de Desenvolvimento (CD) em Jaguariúna, prevê o repasse de R$ 11,7 milhões para que os municípios apliquem em mobilidade e também na Defesa Civil.

O projeto de Mobilidade Urbana visa contribuir para a melhoria da acessibilidade através da execução de obras como recuperação de calçamento e de vias públicas, assim como construção de ciclovias e/ou ciclofaixas para a reorganização do trânsito. De acordo com a assessoria do governo municipal de Indaiatuba, o dinheiro será empregado na construção de novas ciclovias.

Para a secretaria, a mobilidade urbana é fator essencial para o desenvolvimento da vida nas cidades, ou seja, é o que permite a realização de todas as atividades no município, pois envolve todos os meios de transporte, seja motorizado ou não, coletivo ou individual e até mesmo o de cargas. É o que permite o cidadão se deslocar para o trabalho, os estudos ou o lazer, e retornar com agilidade e segurança para a sua residência. O privilégio dado aos meios de transporte coletivo e, principalmente não motorizado, tende a reduzir a poluição no meio urbano, proporcionando mais qualidade do ar.

Segundo Ester Viana, diretora executiva da Agência Metropolitana de Campinas (Agemcamp), os recursos poderão servir como instrumento que irá garantir infraestrutura, facilitar a mobilidade e segurança dos ciclistas e assegurar a democratização do espaço público. "A padronização dos espaços não atenderá somente aos deficientes e idosos, mas a todos os pedestres de forma geral", afirma. Para a realização do projeto de mobilidade serão investidos

R$ 8,1 milhões, com recursos do Fundocamp.

Conceitos

Mobilidade e acessibilidade são conceitos diferentes, esclarece a Prefeitura. Enquanto o primeiro atende a todas as pessoas, seja no transporte coletivo, individual, motorizado, de bicicleta ou a pé, o segundo termo se configura apenas como um dos muitos aspectos a serem levados em conta no projeto de mobilidade urbana.

De acordo com a Prefeitura, o planejamento de mobilidade busca a qualidade no deslocamento da população, assim como de produtos, no meio urbano, por isso, ela deve ser pensada regionalmente, especialmente em nosso município, que integra uma região metropolitana com cidades em processo de conurbação (fenômeno urbano que ocorre a partir da união de dois ou mais municípios, constituídos numa única malha urbana, como se fosse única cidade).

Assim, a mobilidade deve ser planejada de modo integrado, com o intuito de atender a todos os aspectos de acessibilidade, que beneficia não somente os idosos e deficientes físicos, mas a todos os pedestres de um modo geral.

Prevenção de riscos

O segundo projeto cujo convênio foi assinado hoje pelo prefeitos refere-se à Plataforma para Redução de Riscos de Desastres da RMC, para o qual serão investidos R$ 3,6 milhões do Fundocamp. Deste total, serão destinados

R$ 180 mil a cada município para a aquisição de um veículo tipo pick-up, equipado com instrumentos técnicos e operacionais indispensáveis para o enfrentamento de situações de desastres.

De acordo com Ester, este recurso financeiro visa promover a gestão de riscos e gerenciamento de desastres nas coordenadorias municipais de Proteção e Defesa Civil da região. "O projeto foi criado para contribuir com o fortalecimento das ações que já vem sendo promovidas pela Câmara Temática de Defesa Civil da RMC no sentido de implementar estratégias estabelecidas pela Política Nacional de Proteção e Defesa Civil e também do Marco de Sendai, que tem por objetivo ações de resposta e recuperação para a redução de riscos de 2015 a 2030 - um plano acordado internacionalmente para tornar o mundo mais seguro contra riscos naturais e não naturais e cujo compromisso foi assumido pelos 20 prefeitos da RMC", completa a diretora.

Sobre a compra do veículo, a Prefeitura de Indaiatuba comenta que os processos estão em andamento na Defesa Civil, mas ainda não há previsão de quando a pick-up será adquirida.


Fonte:


Notícias relevantes: