Indaiatuba

Ato em defesa do SUS reúne 300 pessoas

SUS

Na manhã de ontem, no estacionamento do Hospital Dia, teve início uma manifestação de repúdio ao desmonte do Sistema Único de Saúde (SUS) por parte do Governo Federal. A ação, organizada pelo Conselho Nacional de Saúde (CNS), contou com a participação de cerca de 300 pessoas, entre servidores e populares.

"Este é um ato nacional que teve a contribuição de várias correntes, entre elas, servidores, conselheiros e usuários do Sistema Único de Saúde", destacou o presidente do Conselho Municipal de Saúde (CMS), Luiz Medeiros. "Já no início do mês, os mais de 5 mil secretários de Saúde de todo o Brasil, além de prefeitos, deliberaram a ação contra o desmonte do SUS. Quero esclarecer que não se trata de um protesto, mas sim, uma manifestação de repúdio ao que vem sendo feito contra o Sistema", completa.

Medeiros lembra que a degradação do SUS ocorre há muitos anos e, com a crise, a situação se agravou. "Uma vez que a União não oferece sua contrapartida, o que vem se repetindo há um bom tempo, com os recursos federais todos parados, entendemos que a Saúde não pode parar. O Estado, por sua vez, também não tem dado o suporte no nível que deveria dar - então, vemos as filas da oncologia e cirurgias ortopédicas só aumentarem, além dos insumos que não chegam - o que nos motivou a organizar este evento, pois não desejamos ver ruir o SUS, o qual ajudamos a construir há 26 anos", explicou o líder do CMS.

Ele criticou ainda as várias Propostas de Emenda à Constituição (PECs) criadas. "Lutamos contra essas PECs que eles vão inventando para retirar mais dinheiro da Saúde e encher os bolsos de deputados, dos quais, eu digo com todo respeito, a maioria não sabe fazer investimentos neste setor", salientou Medeiros. "No próximo dia 6, pretendemos colocar 18 mil pessoas em Brasília, entre elas, presidentes de conselhos e secretários, a fim de pressionarem o Congresso e o Senado para que não aprovem a PEC 143, que deixa solto o dinheiro da Saúde e da Educação", adiantou.


Fonte:


Notícias relevantes: