Indaiatuba

Prefeito é preso por organização criminosa

PRISÃO

Atendendo à denúncia da Procuradoria-Geral de Justiça, por meio do Setor de Crimes de Prefeitos, o prefeito licenciado Reinaldo Nogueira (PMDB) teve sua prisão preventiva decretada pelo desembargador Hermann Herschander, em denúncia oferecida contra o chefe do Executivo ao Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP) na última segunda-feira, dia 20.

Reinaldo foi detido em sua residência, em um condomínio na cidade, na tarde de quinta-feira, dia 23, por promotores do Grupo de Atuação de Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), em ação conjunta com o Batalhão de Ações Especiais de Polícia (Baep), da Polícia Militar, e levado para a 1ª Delegacia Seccional de Campinas, de onde foi transferido, ontem à tarde, para o presídio de Tremembé, onde aguarda para depor.

O Procedimento Investigatório Criminal tramita sob segredo de Justiça na 14ª Câmara de Direito Criminal e a denúncia foi oferecida pela prática dos crimes de organização criminosa, peculato (desvio de dinheiro público) e lavagem de dinheiro.

É resultado de investigações realizadas pelo Setor de Crimes de Prefeito sobre um esquema de fraudes em desapropriações em Indaiatuba. São os mesmos fatos investigados pela Promotoria de Justiça Criminal de Indaiatuba e pela Promotoria de Justiça do Patrimônio Público e que já geraram ação civil pública ajuizada naquela comarca. O prefeito foi investigado pela Procuradoria-Geral de Justiça, diferente dos outros cinco envolvidos, incluindo seu pai (mais detalhes na página 4), pelo fato de gozar de foro por prerrogativa de função.

Na delegacia

Foi detido na tarde de quinta, dia 23, em sua residência, onde se encontravam ainda sua esposa, o irmão, o deputado estadual Rogério Nogueira (PMDB) e amigos e não ofereceu resistência. Levado à 1ª Delegacia Seccional de Campinas, chegou sem algemas e falou rapidamente. "Não tem condenação nenhuma e eu também não sei porque eu estou aqui. Mas vamos aguardar". Questionado sobre a polêmica da desapropriação, foi enfático. "Quem está investigando não entende nada de empreendimentos imobiliários".


Fonte:


Notícias relevantes: