Indaiatuba

Programa transforma 3 mil litros de combustível no mês

MEIO AMBIENTE

Se por um lado estamos falando de meio ambiente, a parte de alimentação também tem grande importância dentro de todo programa instalado na cidade de Indaiatuba. Lutero conta que quando começou o programa de fabricação do biodiesel na cidade de Indaiatuba, o óleo de cozinha era utilizado de forma inadequada. “De acordo com o Ministério da Saúde, o óleo de cozinha só pode ser utilizado por até três vezes na preparação dos alimentos. No caso de fritura de peixes, ele só pode ser utilizada uma vez”, alerta.

Então, para os estabelecimentos que estão cadastrados hoje no programa, todos sabem como deve estar o óleo e também que o óleo admitido por nós para a fabricação do biodiesel pode ter no máximo 30% de resíduos sólidos, que são os restos de alimentos contidos na substância. “Muitas empresas foram retiradas do projeto pois não traziam o óleo da forma adequada e dentro dos padrões que estabelecemos”, afirma o coordenador.

Durante a visita da Tribuna, Lutero disse que consegue aproveitar metade do óleo que chega até à secretaria na fabricação de biodiesel. “Recebemos, por mês, seis mil litros de óleo de cozinha e transformamos em 3 mil litros de biodiesel que abastecem a frota da Prefeitura e do Saae”.

Segundo o coordenador, a estrutura montada dentro da secretaria teria capacidade para produzir até 16 mil litros de biodiesel. “Hoje estamos em três pessoas trabalhado. Eu e mais dois coletores. Sem mais nenhum investimento e com essa estrutura poderíamos ampliar a capacidade de produção, mas para isso precisamos da ajuda da população”, pede.

O volume total de óleo e gorduras provenientes de frituras coletado em 2015 foram de 61.416 litros. Ou seja, foram produzidos mais de 30 mil litros de biodiesel.

Atualmente, o programa possui 200 cadastros entre ecopontos, escolas, pessoas jurídicas e físicas como igrejas, restaurantes, padarias e supermercados. A coleta de óleo de fritura é realizada de segunda a sexta-feira no horário das 8h às 16hs. “Caso a pessoa tenha mais de 10 litros de óleo de cozinha separado, basta ligar para a gente que vamos até o local retirar”, explica o coordenador.

Ele ainda afirma que por conta da produção do biodiesel, a Prefeitura Municipal de Indaiatuba economizou no ano de 2015 , o valor de R$ 35.635,38 na compra de diesel para abastecer a frota. E, pelo lado social, foram doados R$ 14.791,96 para a Fundo Social de Solidariedade (Funssol), que é referente a venda de material coletado que não pode ser aproveitado para a produção de biodiesel devido a sua baixa qualidade.


Fonte:


Notícias relevantes: