Indaiatuba

PSDB pode abrir mão de candidatura para apoiar concorrentes

O PSDB, que chegou a anunciar o advogado Fabiano Lopes Pereira, o Grande, como seu único pré-candidato, deve entrar na coligação liderada pelo PMDB, de Gaspar. O presidente local do partido, Charles Escodro, não confirma a informação, mas também não nega. Questionado, afirmou que "nada está confirmado, mas existe essa possibilidade, sim", lembrando que o anúncio deve sair até o próximo dia 31.

A possibilidade é reforçada pelo anúncio do apoio da professora Maria Rosana Ferrari Nassar ao pré-candidato Bruno Ganem. "Como pré-candidata à Prefeitura de Indaiatuba pelo PSDB, informo que tentei diálogo com o partido para concorrer novamente este ano ao Executivo Municipal, porém não obtive o apoio necessário da sigla", informa. "Coloquei meu nome à disposição do Partido para disputar a eleição de outubro em reunião do comando regional do partido em março, quando a direção municipal já estava propensa a continuar aliada ao grupo do prefeito Reinaldo Nogueira Lopes Cruz (PMDB)".

Discórdia

Rosana volta a afirmar que não foi procurada pelo PSDB. "Na ocasião, após divulgar minha pretensão, a executiva local do PSDB se muniu de uma reunião e apresentou outro nome para disputar a eleição municipal", lembra. "Para se ter uma ideia, até hoje, nenhuma reunião do diretório foi realizada e nenhum filiado do meu grupo político foi chamado para debater as questões partidárias eleitorais dentro da executiva municipal. Foi tudo armado para barrar minha pré-candidatura à prefeitura de Indaiatuba, cargo que já tinha disputado em 2008, pois acredito que é preciso uma renovação na gestão pública municipal".

Assim, resolveu apoiar Ganem. "Como não obtive o aval do partido, o qual estou filiada há mais de nove anos, o caminho mais plausível é estar ao lado do vereador Bruno Ganem, pré-prefeiturável do PV, que tem a melhor condição para garantir que Indaiatuba avance com responsabilidade e eficácia", aponta. "É uma pena, pois construí um projeto dentro do PSDB. A Executiva Municipal passa dos limites em relação ao Estatuto partidário, até porque nunca fui convidada para opinar sobre o futuro do partido", continua.

Por fim, revela se sentir traída pelo partido. "Poderia ter saído do PSDB e não quis. Porque acreditava que a executiva fosse madura e queria trabalhar para fortalecer a sigla no município. É difícil acreditar que eles estarão em lados contrários. O partido não faz oposição ao governo de Reinaldo Nogueira. Nos últimos cinco anos, nunca se ouviu uma frase de crítica ao governo municipal", enfatiza.


Fonte:


Notícias relevantes: