Indaiatuba

Funcionários da Singer entram em greve

Os funcionários da empresa Singer do Brasil, em Indaiatuba, estão em greve desde segunda-feira, dia 18. Segundo o diretor do Sindicato dos Metalúrgicos de Campinas - Regional de Indaiatuba, João Miranda, a classe reivindica o valor da Participação de Lucros e Resultados (PLR).

"Os trabalhadores reivindicam R$ 6 mil e até a quarta-feira, dia 20, a proposta da empresa era de R$ 5 mil. A indústria tem 170 funcionários e a maioria optaram pela greve, apenas a minoria não aceitou e o administrativo", conta.

Na tarde de ontem, dia 22, a empresa se reuniu com a diretoria do sindicato e fez uma nova proposta. "Eles chegaram ao valor de R$ 5,1 mil e não avançamos, já que o sindicato pediu R$ 5,8 mil. Agora vamos falar com os trabalhadores na segunda-
feira, dia 25, mas acredito que eles não aceitem este valor", afirma Miranda.

Na quarta-feira, dia 20, a Tribuna esteve em frente à Singer e conversou com um dos funcionários, que reclamou do baixo valor de PLR oferecido aos trabalhadores. "No ano passado, o PLR foi de R$ 5,3 mil e o principal produto aqui é a exportação, e está em alta, isso significa que a empresa está faturando mais e nos ofereceu apenas R$ 2,5 mil, praticamente menos do que a metade do ano passado. Depois ela subiu a proposta para R$ 4.800 e falou que se quiséssemos poderíamos entrar em greve. Foi o que fizemos e hoje 95% dos funcionários aderiram à paralisação", diz.

"Não concordamos com o valor oferecido porque não chegaram nem ao valor pago em 2015, sendo que a produção continua a mesma. Além disso, só tem três fábricas desta no mundo inteiro, então não há muita concorrência, com crise ou sem crise ainda está vendendo", afirma.

A reportagem entrou em contato com a Singer do Brasil, mas a responsável pela empresa não estava e não conseguiu outro contato com a mesma.


Fonte:


Notícias relevantes: