Indaiatuba

Mais Médicos trocará cubano do município

MAIS MÉDICOS

Até o final de agosto, aproximadamente 1,5 mil profissionais irão ocupar as vagas em aberto no Programa Mais Médicos em todo o Brasil. A notícia foi divulgada pelo ministro Ricardo Barros no encontro com médicos brasileiros formados no exterior, e cubanos que irão atuar no Programa.

Em Indaiatuba, o Mais Médicos teve poucas alterações. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), apenas um médico cubano foi embora este mês, quando completou três anos de atuação no município. A reposição do profissional será efetuada em agosto - o novo médico já foi chamado, porém, está fazendo a especialização.

A Pasta informou também que em outubro os médicos cubanos que atuam na cidade irão completar três anos de atividades; já os profissionais que vieram por intercâmbio passaram no Revalida e irão continuar trabalhando em Indaiatuba. Atualmente, o Programa Mais Médicos conta com 13 profissionais, mas voltará a ter 14 com a chegada do novo médico cubano.

De acordo com o Ministério da Saúde, a estratégia do Programa irá trazer resultados permanentes ao País. "Trata-se de um programa permanente, em que os bolsistas são transitórios até que se completem os objetivos de colocar médicos bem formados e qualificados, atendendo a população nos mais distantes locais", afirmou o ministro.

Desses, cerca de 600 já estão no país participando do acolhimento e regularizando a documentação. Entre os médicos que chegaram a Brasília, 300 são cubanos; e a previsão é a de que, até agosto, haja 1,2 mil profissionais de Cuba no País.

Prorrogação

Em reunião no dia 15 de julho, com a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) e representantes do governo de Cuba, o Ministério prorrogou a permanência dos profissionais, que encerrariam as atividades em julho, para até novembro deste ano, garantindo a continuidade do atendimento à população nas cidades durante o período eleitoral e dos Jogos Olímpicos.

As vagas desocupadas por médicos brasileiros e de outras nacionalidades selecionadas por edital são repostas por meio de chamadas trimestrais. No caso dos médicos cubanos, a substituição é feita diretamente pela Opas, com o governo de Cuba. A continuidade da reposição foi um compromisso assumido desde o início da gestão do ministro Ricardo Barros, para atender ao apelo dos gestores municipais em não deixar desassistida a população dos locais onde esses médicos atuavam.

Edital

Barros também anunciou a publicação de um novo edital para selecionar médicos que irão repor as vagas desocupadas desde o último processo de seleção, em abril. Serão mais 502 vagas em 393 municípios. Com prioridade, os médicos brasileiros terão até o dia 27 de julho para se candidatar pelo endereço http://maismedicos.gov.br/ a um dos postos de atuação.

Em caso de vagas remanescentes, os médicos brasileiros formados no exterior terão oportunidade de participar do Programa; em seguida, serão chamados os profissionais estrangeiros e médicos da cooperação com a Opas.


Fonte:


Notícias relevantes: