Indaiatuba

Para mãe, caso de Júlia só aumentou a estatística

Desanimada com toda a burocracia, Karina acredita que Júlia só tenha aumentado a estatística de casos de abuso sexual de crianças e estupros. "Há um ano e oito meses existe tudo isso. Um ano que acontecia o abuso e oito meses que descobrimos tudo. Quanto tempo ainda tudo isso vai levar", questiona a mãe.

Sem saber ao certo como lidar com a situação, Karina afirma que o seu pai morreu naquele dia para ela. "Ele mexeu com o meu bem mais precioso que é a minha filha. Ele morreu do pior jeito possível. Porque é algo que não tem como pagar, mas sim apagar. E como vou apagar isso?, finaliza.

Acompanhamento

Atualmente, Karina faz o acompanhamento com a psicóloga do Creas e sua filha continua em sessões semanais com a psicóloga que já a atendia. Por enquanto, a justiça ainda está na fase de recolher os depoimentos de todos os envolvidos.


Fonte:


Notícias relevantes: