Indaiatuba

Advogada recebe pedido público de desculpas

A advogada Lenora Thais Steffen Todt Panzetti vai ser expositora na Cerimônia de Desagravo Público na próxima segunda-feira, dia 22. Após a cerimônia, Lenora vai presidir uma palestra sobre o caso Adoções de Monte Santo (BA) - Manipulação, Verdade e Justiça.

O desagravo está marcado para as 19h30 e, em seguida, será a palestra. Ambos serão no Plenário dos Conselhos da OAB-SP, localizado na Casa da Advocacia, edifício Goffredo da Silva Telles Junior, situada na Praça da Sé, 385, segundo andar, em São Paulo.

Lenora explica que o desagravo é um pedido público de desculpa pela ofensiva ao advogado. "A OAB entende que não só eu, mas todos os advogados foram ofendidos. O desagravo é um pedido de desculpa, mas, muito mais do que a desculpa para mim, este pedido de desculpa se aplica às famílias adotivas", afirma. "Com a palestra e com o desagravo, quero trazer a público o início da verdade e o pedido de retratação da Globo. Quero que a emissora se retrate pelo que foi publicado", completa, lembrando que o processo está correndo há bastante tempo. "A palestra é o primeiro passo".

Fretado

A todos que desejam assistir, para o deslocamento de Indaiatuba até o Plenário, um ônibus será fretado mediante adesão individual. Para reservar o lugar no transporte é preciso entrar em contato com Tarik Costa pelo telefone (19) 98979-6021 ou pelo e-mail [email protected]
com.br.

Caso Monte Santo

Em 2011, três crianças foram adotadas por quatro famílias paulistas, de Indaiatuba e Campinas, após decisãodo Ministério Público, que julgou a família biológica sem condições para criar os filhos e apontou maus tratos. A adoção aconteceu legalmente em maio de 2011.

Em 2012, após exibição da reportagem do Fantástico, as crianças foram retiradas a força das mães afetivas e levadas de volta a Bahia, acusando as famílias paulistas de tráfico de pessoas, o que rendeu, inclusive, a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) em Brasília. Já em maio de 2015, o Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) anulou a sentença do juiz Luís Roberto Cappio Pereira que determinava a volta das cinco crianças de Monte de Santo para a família biológica.

No início de outubro de 2015, a mãe biológica Silvânia pediu para que o retorno do filho mais novo, Luan, acontecesse e veio a Indaiatuba, por vontade própria, traze-lo. A guarda de Luan foi dada pela Juíza Titular de Monte Santo, Sirlei Caroline Alves Santos, em maio de 2016.

Em outubro de 2015, retornaram a família afetiva os filhos Daniel e Ricardo. A guarda de ambos foi dada no mesmo mês, pela Juíza Titular da Vara Infantil de Campinas, Silvia Paula Moreschi Ribeiro. Já em maio deste ano, o Ministério Público (MP) da Bahia emitiu um parecer favorável ao arquivamento do processo que investigava o tráfico dos irmãos.


Fonte:


Notícias relevantes: